Homem preso sob suspeita de estuprar sobrinho autista por cinco anos em Minas Gerais

O homem foi encaminhado ao sistema prisional e permanecerá à disposição da Justiça.

Por Plox

22/06/2024 08h35 - Atualizado há cerca de 1 mês

Um homem de 49 anos foi detido na cidade de Nanuque, no Vale do Mucuri, Minas Gerais, acusado de abusar sexualmente do sobrinho autista ao longo de cinco anos. A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) relatou que a vítima, atualmente com 11 anos, sofria os abusos desde os 6.

O suspeito, aproveitando-se da convivência familiar, cometia os crimes quando ficava sozinho com a criança. "O suspeito induzia a vítima a permanecer em silêncio sobre os abusos, dizendo que, caso relatasse os fatos, ninguém acreditaria nela", informou a PCMG em comunicado. O homem foi encaminhado ao sistema prisional e permanecerá à disposição da Justiça.

Os abusos ocorreram durante momentos em que o tio ficava a sós com o menino, que possui diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista (TEA) em grau moderado. A Polícia Civil não forneceu detalhes sobre como descobriu os crimes.

Aumento de casos de estupro em Minas Gerais

Nos três primeiros meses de 2024, Minas Gerais registrou 789 casos de estupro envolvendo vítimas de até 14 anos, segundo dados da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp). Em 2023, o estado contabilizou 3.420 casos, representando um aumento de 9% em comparação com 2022, quando ocorreram 3.133 registros.

Somente em Belo Horizonte, ocorreram 80 casos nos primeiros três meses de 2024. No ano anterior, a capital mineira registrou 436 vítimas, 79 a mais que em 2022.

O perigo dentro de casa

Em maio, durante uma reunião da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), a defensora pública Samantha Vilarinho Mello Alves ressaltou que 68,3% dos abusos de menores ocorrem dentro do próprio lar, e 86,1% dos crimes são cometidos por pessoas conhecidas.

O Brasil registrou quase 75 mil casos de estupro em 2023, um aumento de 8% em relação ao ano anterior. Desses, 61,4% das vítimas tinham menos de 13 anos.

Destaques