Cirurgião plástico de MG é preso após denúncias de abuso sexual

Dentre as acusações graves que pesam sobre Hudson de Almeida, estão os relatos de pelo menos 11 mulheres, com faixa etária variando entre 16 e 40 anos,

Por Plox

22/07/2023 07h37 - Atualizado há 11 meses

O reconhecido médico-cirurgião plástico Hudson de Almeida, com 56 anos de idade, foi detido em um imponente apartamento localizado em São Paulo no dia 21 de julho. Sua prisão ocorreu depois de quatro meses em que o profissional estava desaparecido, evitando ser capturado pelas autoridades. O momento da prisão foi marcado pela serenidade do suspeito, que não demonstrou resistência à abordagem, sendo sua filha a responsável por abrir a porta para a polícia. Segundo declarou o capitão Cristiano da Polícia Militar, existe uma expectativa de que o cirurgião seja conduzido para o estado de Minas Gerais em breve, onde cumprirá a pena determinada pela Justiça.

 

 

Foto: Reprodução

Histórico de Denúncias Contra o Médico 

Profissional é vinculado a série de abusos durante consultas médicas

 

Dentre as acusações graves que pesam sobre Hudson de Almeida, estão os relatos de pelo menos 11 mulheres, com faixa etária variando entre 16 e 40 anos, que afirmam ter sido vítimas de abuso pelo cirurgião na cidade de Alfenas, localizada no Sul de Minas Gerais. As denúncias, como expostas durante uma coletiva de imprensa da Polícia Militar, apontam para uma conduta reprovável por parte do médico durante as consultas. As vítimas relatam ter passado por "procedimentos não autorizados", sendo mais especificamente identificados como abusos sexuais. Ao detalhar sobre as circunstâncias dos abusos, o capitão Cristiano afirmou: "Durante as consultas, o médico possuía comportamentos que configuravam violência sexual".

Trajetória Profissional e Inquéritos em Andamento Atuação em importantes instituições e enfrentamento de processos judiciais

Hudson de Almeida, além de ser proprietário de uma clínica particular em Alfenas, prestava seus serviços na Santa Casa da cidade. Sua trajetória profissional também inclui atendimentos no Hospital Alzira Velano, do qual posteriormente se desvinculou. Sua posição de destaque no ramo da medicina é corroborada pelo fato de ser membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Em relação aos processos judiciais, o médico enfrenta dois inquéritos específicos por abuso sexual. Em um desses inquéritos, datado de 2021, três mulheres relataram à Justiça situações extremamente constrangedoras vivenciadas durante suas consultas com o profissional. Já em um segundo inquérito, referente ao ano de 2020, uma mulher de 33 anos acusa o médico por abuso sexual.

 


 

Destaques