Justiça decreta falência da Viação Itapemirim

Empresa estava em recuperação judicial desde 2016 e devia mais de R$ 2 bilhões

Por Plox

22/09/2022 09h33 - Atualizado há mais de 1 ano

Nessa quarta-feira (21), a 1ª Vara de Falências e Recuperação Judicial do Tribunal de Justiça (TJ) de São Paulo decretou falência da Viação Itapemirim, uma das principais empresas de transporte rodoviário do Brasil. A empresa estava em recuperação judicial desde 2016.

De acordo com informações, com dívidas de R$ 253 milhões a credores e R$ 2,2 bilhões em impostos, a Justiça atendeu a um pedido do banco Bradesco. O juiz do caso ainda determinou a indisponibilidade dos bens em contas bancárias de Sidnei Piva de Jesus, acionista e presidente do grupo.

Foto: reprodução Instagram / Itapemirim


Segundo a decisão, a Justiça entendeu que há “confusão patrimonial” entre a Itapemirim e a empresa Piva Consulting LTDA. Ativos da Itapemirim foram arrendados para a transportadora Turística Suzano.

“Visando, assim, a liquidação eficiente dos ativos do Grupo Itapemirim, em momento oportuno, resguardando os interesses da coletividade de credores”, diz a decisão.

Nos anos anteriores, diversas circunstâncias contribuíram para o desfecho judicial proferido na data de ontem. A empresa foi alvo de conflitos entre acionistas e, inclusive, em meio a pandemia, o grupo conseguiu, mesmo em recuperação judicial, abrir uma empresa no setor aéreo, através de autorização. Fato que foi muito comentado à época.

Em janeiro, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) proibiu a Itapemirim de comercializar passagens aéreas.


 

Destaques