Tribunal de Justiça de Minas Gerais suspende bloqueio de R$ 346 milhões da Usiminas

A notícia de que o valor não será mais bloqueado trouxe alívio entre os comerciantes da região

Por Plox

22/09/2023 13h22 - Atualizado há 7 meses

A Usiminas recebeu uma notícia favorável nesta quinta-feira, 21 de setembro, quando o Tribunal de Justiça de Minas Gerais suspendeu a liminar que havia bloqueado R$ 346 milhões de seus recursos, conforme anunciado em comunicado ao mercado. A Ação Civil Pública (ACP) que resultou no bloqueio foi iniciada em julho deste ano, lançando um foco intensificado sobre as práticas ambientais da empresa.
A empresa tem evidenciado seu compromisso com as normas ambientais, especialmente na localidade de Ipatinga, Minas Gerais. Conforme destacado no comunicado, a siderúrgica afirma que várias medidas foram tomadas para aprimorar seu desempenho ambiental, um esforço que já demandou investimentos de aproximadamente R$ 2 bilhões nos últimos cinco anos. Somente em 2023, a Usiminas está investindo R$ 500 milhões em projetos destinados a ampliar ainda mais seu desempenho positivo no tocante ao meio ambiente.


A Usiminas afirma também que dentre as ações recentes, ressaltam-se a instalação de canhões de névoa em diferentes pontos da usina e a aplicação de polímeros. A revitalização do cinturão verde, bem como o reforço na varrição mecânica e a umectação de vias internas, também figuram entre as medidas adotadas. Além disso, visando uma monitorização eficaz da emissão de particulados, foi estabelecida uma Central de Monitoramento e uma Rede Automática de Monitoramento de Particulado. Esta última, segundo a empresa, uma iniciativa pioneira entre as siderúrgicas do país, conta com seis pontos de monitoramento instalados na cidade de Ipatinga, apresentando indicações de redução nas emissões de poluentes.
 

Sobre a liminar
Uma decisão da Justiça, em primeira instância, havia deferido um pedido de liminar feito pelo Ministério Público de Minas Gerais contra a companhia. A ação pede que a empresa seja penalizada por causar poluição ao meio ambiente desde os primórdios da companhia no ano de 1966.

Segundo a ação, a poluição emitida tem causado danos ao meio ambiente na usina localizada em Ipatinga-MG.

A liminar, que agora não é mais válida, pediu o bloqueio nas contas da empresa no valor de R$ 346 milhões.
 

Apreensão entre os comerciantes
A notícia de que o valor não será mais bloqueado trouxe alívio entre os comerciantes. Em conversa com o PLOX vários lojistas e empresários da região afirmaram que estavam preocupados caso Ministério Público conseguisse bloquear o dinheiro da companhia. A recente pandemia e uma crise vivida pela empresa deixou claro a importância da empresa para a economia regional. “A Usiminas é geradora da maior fonte de renda da região. Com alívio recebemos a notícias de que, livre desse bloqueio, poderá honrar seus compromissos e continuar sendo a propulsora de nossa economia”, afirmou um membro do grupo Raízes, que reúne empresários de diversos setores com objetivo de buscarem o desenvolvimento no Vale do Aço, em Minas Gerais.
 

Destaques