Cientistas encontram “barata gigante” que pode chegar a 50 cm

23/07/2020 12:24

Segundo os cientistas, esse isópode se alimenta de pedaços de animais mortos

Nesta semana, cientistas da Indonésia anunciaram que foi encontrada uma “barata gigante do mar”. Mas calma, se trata de um dos maiores crustáceos já vistos no fundo do mar.

A “barata gigante” pertence ao gênero Bathynomus, que são isópodes gigantes e vivem em águas profundas. Esse gênero é de grandes criaturas com corpos achatados e duros, parecidos com um tatuzinho-de-jardim.

Quando estão adultas, esses animais atingem, em média, 33 centímetros. Porém, em alguns casos, o animal pode atingir a marca de 50 centímetros.

"Seu tamanho é realmente muito grande e ocupa a segunda maior posição no gênero Bathynomus", disse a pesquisadora Conni Margaretha Sidabalok, do Instituto de Ciências da Indonésia (LIPI).

 

indonesia-3Foto: divulgação/ LIPI
 


Segundo os cientistas, a Bathynomus raksasa foi encontrada no Estreito de Sunda, que fica entre as ilhas de Java e Sumatra, na Indonésia. Elas vivem entre 950 e 1.250 metros abaixo do nível do mar.

Teorias

Segundo o Museu de História Natural de Londres, existem várias teorias que explicam o motivo destes isópodes estarem no fundo do mar.

Uma das teorias afirma que no fundo do mar não existem tantos predadores e que carregam mais oxigênio, por isso seus corpo são maiores.

 
indonesia-2Foto: divulgação/ LIPI


Esse animal tem mais carnes que os crustáceos, como caranguejo, o que faz deles menos procurados para os predadores.

De acordo com os pesquisadores, a Bathynomus raksasa se alimenta de pedaços de animais mortos, no fundo do oceano.

Por terem metabolismo bastante lento, esse animal pode passar bastante tempo sem se alimentar. O Museu de História Natural de Londres afirmou que existem relatos de que um animal dessa espécie, teria sobrevivido por cinco anos sem comer, em um cativeiro do Japão.