Cientistas encontram “barata gigante” que pode chegar a 50 cm

Segundo os cientistas, esse isópode se alimenta de pedaços de animais mortos

Por Plox

23/07/2020 15h24 - Atualizado há 6 meses

Nesta semana, cientistas da Indonésia anunciaram que foi encontrada uma “barata gigante do mar”. Mas calma, se trata de um dos maiores crustáceos já vistos no fundo do mar.

A “barata gigante” pertence ao gênero Bathynomus, que são isópodes gigantes e vivem em águas profundas. Esse gênero é de grandes criaturas com corpos achatados e duros, parecidos com um tatuzinho-de-jardim.

Quando estão adultas, esses animais atingem, em média, 33 centímetros. Porém, em alguns casos, o animal pode atingir a marca de 50 centímetros.

"Seu tamanho é realmente muito grande e ocupa a segunda maior posição no gênero Bathynomus", disse a pesquisadora Conni Margaretha Sidabalok, do Instituto de Ciências da Indonésia (LIPI).

 

indonesia-3Foto: divulgação/ LIPI
 


Segundo os cientistas, a Bathynomus raksasa foi encontrada no Estreito de Sunda, que fica entre as ilhas de Java e Sumatra, na Indonésia. Elas vivem entre 950 e 1.250 metros abaixo do nível do mar.

Teorias

Segundo o Museu de História Natural de Londres, existem várias teorias que explicam o motivo destes isópodes estarem no fundo do mar.

Uma das teorias afirma que no fundo do mar não existem tantos predadores e que carregam mais oxigênio, por isso seus corpo são maiores.

 
indonesia-2Foto: divulgação/ LIPI


Esse animal tem mais carnes que os crustáceos, como caranguejo, o que faz deles menos procurados para os predadores.

De acordo com os pesquisadores, a Bathynomus raksasa se alimenta de pedaços de animais mortos, no fundo do oceano.

Por terem metabolismo bastante lento, esse animal pode passar bastante tempo sem se alimentar. O Museu de História Natural de Londres afirmou que existem relatos de que um animal dessa espécie, teria sobrevivido por cinco anos sem comer, em um cativeiro do Japão.
 

PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2021