Vacinação Antirrábica começa nesta segunda em Santana do Paraíso

23/08/2020 16:35

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a meta é de 5.163 animais sejam vacinados no município

Começa nesta segunda-feira (24) e vai até o dia sete de outubro, a Campanha de Vacinação Antirrábica em Santana do Paraíso-MG. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o objetivo do procedimento é prevenir a raiva nos animais. Serão vacinados cães e gatos com mais de três meses de idade. 

A pasta informou que a meta é de 5.163 animais sejam vacinados no município. Os cães e gatos vão ser imunizados em casa. Porém, o proprietário que não quiser que o animal seja vacinado em domicílio pode ir até o setor de Zoonozes, situado na rua Maria José da Costa, nº 5, no bairro Josefino Anício dos Reis, de 8h às 11h.

 

anti-rabicaFoto: Reprodução/Agência Brasil
 

Segundo a secretaria, as equipes irão iniciar a vacinação na zona rural da cidade, e outras nos bairros Chácaras Paraíso, São José, Centro, Alto Santana, Oliveira, Josefino Anício, Veraneio, Vale do Paraíso, São Francisco e Residencial Paraíso. Os outros bairros serão divulgados no decorrer da vacinação. 

O órgão ressalta que a vacinação é gratuita, e é o único meio de prevenção contra a raiva em cães e gatos. Ela deve ser reforçada anualmente mesmo que o animal já tenha recebido a vacina em campanhas anteriores. 

Transmissão da Raiva
A forma mais comum de transmissão da raiva é por meio do contato com a saliva do animal raivoso, de mordeduras, arranhaduras e lambeduras. O vírus da raiva pode infectar todos os mamíferos, provocando a morte em quase todos os casos.

Medidas
Diversas medidas podem ser tomadas para evitar a transmissão do vírus como: não se aproximar de cães e gatos sem donos, nem mexer ou tocar quando os mesmos estiverem se alimentando ou dormindo; nunca tocar em morcegos ou outros animais silvestres diretamente, principalmente quando estiverem caídos no chão ou encontrados em situações não habituais.

Em caso de contato com a saliva de cães e gatos, é importante tentar capturar o animal e observá-lo por dez dias. “Se ele continuar sadio nesse período, ou seja, sem alteração em seu comportamento, é seguro que não esteja contaminado pela raiva. 

Caso não seja possível capturar o animal ou se não puder observá-lo neste período, deve-se agir como se ele estivesse doente e fazer o tratamento profilático. A indicação é que o cidadão procure, o mais rápido possível, a unidade de saúde mais próxima de sua casa”, orienta a Secretaria de Saúde.

Sintomas
Os sintomas da raiva são inespecíficos, mas podem incluir cefaléia, febre baixa, mal-estar, anorexia, náusea e dor de garganta. Além disso, na maioria dos casos há alteração de sensibilidade no local da mordida. Em seguida, ocorre o comprometimento do sistema nervoso central, caracterizados inicialmente por ansiedade, inquietação, desorientação, alucinações, comportamento bizarro e até convulsões.