Alunas mineiras criam mouse inovador para auxiliar colegas com deficiência

Projeto Mouserduino, desenvolvido em Escola Estadual, ganha prêmios e reconhecimento por promover inclusão

Por Plox

24/01/2024 09h22 - Atualizado há 5 meses

Em Paracatu, no Noroeste de Minas Gerais, um grupo de estudantes do Ensino Médio Integral da Escola Estadual Neusa Pimentel Barbosa desenvolveu o “Mouserduino”, um mouse sem toque, como uma solução tecnológica para auxiliar colegas com mobilidade reduzida e outras deficiências. O projeto, que integra a disciplina eletiva de Agrotech, representa um avanço significativo na inclusão digital dentro do ambiente escolar.

Foto: SEE/Divulgação

O Mouserduino, acoplado a óculos, permite a navegação por movimentos da cabeça e a seleção por piscadas de olhos. Eduarda Barbosa, Letícia Maria e Raina de Souza, alunas do 2º ano do curso Técnico em Agropecuária, sob a orientação de Flávio Barbosa, professor de Agrotech, e a supervisão da professora de química Kátia Mendes, são as responsáveis pela criação. Inspiradas pelas aulas de Agrotech, as estudantes se aprofundaram em programação, robótica e utilização de plataformas tecnológicas para desenvolver o dispositivo.

Segundo Flávio Barbosa, o objetivo era desafiar as alunas a encontrar soluções práticas para problemas do cotidiano. “Não adianta só sermos espectadores de tecnologias que estão sendo desenvolvidas por outros, quando temos capacidade de, na nossa própria escola, criarmos uma solução para melhorar nossa qualidade de vida. Acredito que as disciplinas de tecnologia devem sempre instigar nossos alunos a buscar soluções para as ‘dores’, sejam da escola ou da comunidade”, afirmou.

Foto: SEE/Divulgação

Eduarda Barbosa, de 16 anos, destacou a importância do projeto em sua formação: “Foi significativo e importante participar porque acredito que é algo que pode influenciar a gente no futuro, na escolha da carreira, mesmo que não seja na tecnologia, porque é um conhecimento que vai ser nosso para o resto da nossa vida”.

O projeto levou cerca de seis meses para ser concluído e já alcançou reconhecimento, conquistando o segundo lugar na Feira Virtual Stem Brasil 2023, nas categorias “Tecnologia, Inovação e Robótica” e “Meninas na Ciência”. Além dos prêmios, o Mouserduino já está sendo utilizado por um colega da escola com mobilidade reduzida, com planos de adaptação para atender também um aluno cego.

Este projeto exemplifica o potencial das experiências oferecidas pelo Ensino Médio em Tempo Integral (Emti), que oferece aos estudantes 45 horas semanais de aprendizado, incluindo a Formação Geral Básica e Itinerários Formativos. No caso do Mouserduino, o foco foi no desenvolvimento de habilidades socioemocionais como liderança e organização, bem como habilidades técnicas como interpretação de diagramas eletrônicos, conceitos de usabilidade e acessibilidade, e desenvolvimento de projetos.

 

Destaques