Fabriciano garante licença ambiental que permitirá instalação do Distrito Industrial II

24/02/2020 13:08

O empreendimento prevê investimentos de mais R$35 milhões

Publicidade

Em reunião nessa sexta-feira (21), na Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SEMAD), em Belo Horizonte, o Conselho de Política Ambiental (COPAM) concedeu, após defesa técnica política do prefeito Dr. Marcos Vinicius, a licença ambiental por unanimidade à empresa Pedreira Um LTDA. A liberação do documento é fundamental para a instalação de uma nova unidade da Pedreira em uma área de cerca de quase 18 hectares, no local conhecido como Horto Baratinha, na divisa de Fabriciano com Antônio Dias.

Com o processo da licença ambiental que estava parado há anos no órgão estadual, Coronel Fabriciano dá início a uma discussão importante, que é a efetivação do Distrito Industrial II. A proposta é que seja construído um Parque industrial que possibilitará a instalação de várias empresas, que já demonstraram interesse na área e inclusive estão em negociações avançadas. Conforme o empreendimento, a Pedreira Um LTDA, será responsável pela infraestrutura e urbanização da área. A previsão, é que nos próximos dias a diretoria da empresa se reúna com a administração municipal para apresentar os projetos para a área.

lhvbohjlFoto: Divulgação
 

Segundo o prefeito Dr. Marcos Vinicius, o empreendimento será fundamental para alavancar o processo de desenvolvimento do município. “Esse projeto estava engavetado há vários anos e depois de uma grande defesa, conseguimos junto ao Copam a licença que é o pontapé inicial para o Distrito Industrial II. Isso representa a oportunidade de gerar centenas de empregos para a cidade, possibilitando desenvolvimento e renda”, pontuou.

Plano estratégico

A área com acesso à BR-381 e próxima a siderúrgicas como Aperam tem uma localização estratégica, e pode abrigar outro empreendimento importante que é o Porto Seco – Plataforma Multimodal. O equipamento de logística previsto para ser construído às margens da ferrovia Vitória-Minas teve o projeto apresentado no 1º Workshop do Plano Estratégico Ferroviário de Minas Gerais, na capital mineira no último dia 11 de fevereiro.

O projeto tem custo estimado em R$ 25 milhões, como medidas compensatórias e mitigatórias aos impactos decorrentes da presença da ferrovia na cidade. O valor do projeto global, reivindicado por Fabriciano, contempla ainda construção de muro de vedação, passarelas e instalação de cancelas ao longo da ferrovia no trecho urbano.

3 anexos
 



Publicidade