Ipatinga

polícia

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Jovem que matou e concretou corpo de mulher no quarto da mãe é condenado a 21 anos de prisão em MG

    Corpo da vítima foi esquartejado, colocado em um tambor e enterrado no chão do quarto da mulher acusada de ser a mandante do crime

    Por Plox

    24/05/2022 13h24 - Atualizado há cerca de 1 mês

    Um jovem, de 20 anos, foi condenado nesta segunda-feira (23) a 21 anos de prisão por assassinar e concretar o corpo de uma mulher no quarto de sua mãe. O crime ocorreu no final de novembro de 2020, em Juiz de Fora, na Zona da Mata mineira. O corpo de Rivânia Pereira da Silva, de 40 anos, foi encontrado menos de 15 dias depois pela Polícia Civil. A mãe do autor, o namorado dela e a irmã têm envolvimento com o crime.

    Segundo o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), o réu foi condenado a cumprir pena em regime fechado, por homicídio, ocultação de cadáver e corrupção de menores. Conforme a decisão da Justiça, ele não poderá recorrer em liberdade.

    Além do jovem, o MPMG denunciou a mãe dele, de 38 anos, e o namorado dela à época, de 23 anos, bem como a irmã do condenado, atualmente com 19 anos, mas na época era adolescente. Contudo, os três recorreram contra a decisão de pronúncia e ainda serão julgados em datas a serem definidas pela Justiça.

    Rivânia Pereira da Silva, de 40 anos, vítima de assassinato/Foto: Reprodução

     

    Conforme a denúncia do MPMG, a vítima foi morta como forma de se evitar o pagamento de uma dívida de R$26 mil contraída pela mãe do condenado, durante um atendimento espiritual. O MPMG apontou que o crime foi cometido por motivo torpe, através de emboscada. “A vítima foi atraída à casa da mãe do réu e de seus filhos, com a promessa de pagamento; e morta de forma cruel, por estrangulamento, ficando em agonia por cerca de 40 minutos, até ser colocada debaixo do chuveiro e ir a óbito”, diz trecho da denúncia.

    No júri, o promotor de Justiça Lucas Nacur Almeida Ricardo demonstrou que os envolvidos ocultaram o corpo, que foi colocado em um tambor metálico com cimento, areia, cal e ferramentas, e enterrado embaixo de um sofá no quarto da mãe. Uma das acusadas teria ainda usado documentos e cartões que estavam na posse da vítima para furtar R$ 100 de uma conta bancária em nome da mãe da mulher morta.

    Segundo o MPMG, o crime foi premeditado, planejado e preparado pela mãe do condenado e pelo então companheiro dela, com o conhecimento de todos os envolvidos.

    Foto: Divulgação MPMG
    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2022[email protected]