Pais são presos por desviar R$ 3 milhões de campanha para filho com AME em Santa Catarina

Casal utilizou recursos arrecadados para tratamento de Jonatas em itens de luxo; menino de 5 anos faleceu em janeiro de 2022

Por Plox

24/05/2024 08h22 - Atualizado há 19 dias

Um casal foi detido em Santa Catarina por desviar aproximadamente R$ 3 milhões arrecadados para o tratamento de seu filho Jonatas, diagnosticado com Atrofia Muscular Espinhal (AME). As prisões ocorreram nesta quarta-feira (22), executadas pela Polícia Civil de Santa Catarina, através da Delegacia de Proteção à Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI) de Joinville.

Reprodução Redes Sociais

Desvios e luxos

Renato e Aline Openkoski, pais do menino, foram acusados de estelionato e apropriação indébita, crimes que podem resultar em até 70 anos de prisão. Jonatas foi diagnosticado com AME em 2017 e, no mesmo ano, os pais iniciaram a campanha "AME Jonatas" para arrecadar fundos para o tratamento do filho. No entanto, uma investigação revelou que o casal utilizava o dinheiro para comprar itens de luxo, incluindo roupas e um veículo de R$ 140 mil.

Investigação detalhada

A investigação começou em janeiro de 2018, após o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) receber denúncias sobre o uso inadequado dos fundos. A Justiça rapidamente bloqueou os valores arrecadados, e a DPCAMI iniciou a coleta de depoimentos, ouvindo mais de 20 pessoas. Em uma operação de busca e apreensão na casa da família em Joinville, a polícia encontrou diversos itens de luxo adquiridos com o dinheiro da campanha.

Fuga e prisão

O casal fugiu de Balneário Camboriú, mas foi localizado e preso em Joinville após um trabalho investigativo. "O casal tinha fugido de Balneário Camboriú, onde residia e, após trabalho de investigação, foi localizado em Joinville nesta quarta-feira (22). Ambos foram encaminhados ao sistema prisional catarinense", informou a Polícia Civil de Santa Catarina.

Defesa dos acusados

O advogado dos Openkoski, Emanuel Stopassola, apresentou um pedido de "relaxamento da prisão" para a liberdade provisória do casal, alegando que a mãe tem outros filhos além de Jonatas, e destacando os bons antecedentes e trabalhos fixos dos acusados. A defesa aguarda resposta do Fórum da Comarca de Joinville.

Destaques