Bolsonaro ficou na Embaixada da Hungria após PF confiscar passaporte

Ex-presidente permanece sob asilo diplomático em meio a investigações criminais

Por Plox

25/03/2024 15h40 - Atualizado há 4 meses

O ex-presidente Jair Bolsonaro, refugiou-se na Embaixada da Hungria em Brasília, buscando asilo quatro dias após a apreensão de seu passaporte pela Polícia Federal. Esta ação foi realizada sob a ordem de Alexandre de Moraes, ministro do Supremo Tribunal Federal. A iniciativa de Bolsonaro veio à luz por meio de filmagens internas divulgadas pelo The New York Times nesta segunda-feira (25).

Foto: Reprodução/Redes Sociais

As filmagens, disponibilizadas pelo periódico estadunidense, revelam que o ex-presidente passou dois dias nas instalações da embaixada, acompanhado por dois seguranças. Durante sua estadia, foi recebido pelo embaixador húngaro e equipe. Este movimento sugere uma tentativa de Bolsonaro de escapar das investigações criminais que enfrenta no Brasil, aproveitando-se de suas conexões políticas internacionais, especialmente com Viktor Orbán, primeiro-ministro da Hungria e conhecido líder de extrema direita.

A investigação do The New York Times se baseou na análise de vídeos de três dias, capturados por quatro câmeras na embaixada, que documentaram a chegada de Bolsonaro na tarde do dia 12 de fevereiro e sua partida na tarde de 14 de fevereiro. As imagens revelam que, apesar de sua presença física, Bolsonaro manteve um perfil discreto durante sua estadia.

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Adicionalmente, o jornal validou as gravações ao compará-las com fotografias da embaixada e imagens de satélite que identificaram o veículo de Bolsonaro estacionado na entrada no dia 13 de fevereiro. Um oficial da Embaixada da Hungria, que optou pelo anonimato, confirmou ao jornal americano os planos de abrigar o ex-presidente nas dependências da embaixada, destacando a complexidade deste caso diplomático.

Destaques