PF investiga visita de Bolsonaro à embaixada húngara em Brasília

Ação segue revelações de estadia do ex-presidente após operação de suposta tentativa de golpe

Por Plox

25/03/2024 18h42 - Atualizado há 4 meses

A Polícia Federal (PF) iniciou uma investigação sobre a presença do ex-presidente Jair Bolsonaro na embaixada da Hungria, localizada em Brasília. Esse movimento acontece na esteira de publicações do jornal 'The New York Times', que exibiu vídeos do ex-mandatário chegando ao local. A incursão de Bolsonaro na embaixada se deu logo após uma série de buscas relacionadas a uma suposta tentativa de golpe de Estado envolvendo membros de seu governo.

Estadia sob investigação

Entre os dias 12 e 14 de fevereiro, Bolsonaro teria se hospedado na embaixada húngara, apenas alguns dias após ser alvo de uma operação da PF. A defesa do ex-presidente confirma sua estadia, alegando que o propósito era "manter contato com autoridades do país amigo". Essa afirmação vem em resposta às especulações que circundam a visita, descritas pela defesa como "evidente obra ficcional".

Detalhes da Visita

Foto: reprodução

A entrada de Bolsonaro na embaixada foi capturada por câmeras de segurança quatro dias após a ação da Polícia Federal, revelando sua chegada ao local com dois seguranças, o embaixador da Hungria no Brasil e membros da equipe diplomática. O 'The New York Times' destacou que, dentro de uma embaixada estrangeira, o ex-presidente estaria fora do alcance das autoridades brasileiras, dada a natureza legal desses espaços.

 

A estadia foi confirmada pela defesa do ex-presidente, que alega encontros com autoridades húngaras

Estadia na embaixada: A defesa de Jair Bolsonaro confirmou que o ex-presidente ficou alojado na embaixada da Hungria, localizada na zona Sul de Brasília, por dois dias. O propósito da visita, segundo os advogados, era "manter contato com autoridades do país amigo".

Registro de entrada: O jornal "The New York Times" obteve imagens das câmeras de segurança da embaixada que mostram a chegada de Bolsonaro ao local, acompanhado por dois seguranças, o embaixador da Hungria no Brasil e outros membros da equipe diplomática. Este fato ocorreu quatro dias após uma operação da Polícia Federal.

Imunidade diplomática: O "NYT" destacou que o ex-presidente não poderia ser detido enquanto estivesse dentro da embaixada, já que essas instalações estão legalmente fora do alcance das autoridades locais.

Comunicado oficial: Os advogados de Bolsonaro divulgaram um comunicado esclarecendo que a estadia na embaixada húngara foi para dialogar com várias autoridades sobre a situação política atual de ambos os países. Bolsonaro tem uma relação estreita com o líder húngaro, tendo se encontrado com ele recentemente em Buenos Aires, durante a posse do presidente Javier Milei.

O comunicado também refuta quaisquer outras interpretações dos eventos como fictícias e desassociadas dos fatos, classificando-as como desinformação.

 

Veja a nota envia à imprensa

 

COMUNICADO AOS VEÍCULOS DE IMPRENSA

 

O ex-Presidente da República, Jair Bolsonaro, passou dois dias hospedado na embaixada da Hungria em Brasília para manter contatos com autoridades do país amigo.

Como é do conhecimento público, o ex-mandatário do país mantém um bom relacionamento com o premier húngaro, com quem se encontrou recentemente na posse do presidente Javier Milei, em Buenos Aires.

Nos dias em que esteve hospedado na embaixada magiar, a convite, o ex-presidente brasileiro conversou com inúmeras autoridades do país amigo atualizando os cenários políticos das duas nações.

Quaisquer outras interpretações que extrapolem as informações aqui repassadas se constituem em evidente obra ficcional, sem relação com a realidade dos fatos e são, na prática, mais um rol de fake news.

São Paulo, 25 de março de 2024.

Destaques