Tempestade geomagnética severa impacta a Terra com possíveis consequências para a tecnologia

Fenômeno natural, classificado como G4, pode alterar comunicações e redes elétricas

Por Plox

25/03/2024 12h42 - Atualizado há 4 meses

Desde o domingo, 24 de março, uma tempestade geomagnética classificada como G4, que significa um nível severo de perturbação, está afetando a Terra, conforme informações do Centro de Previsão do Clima Espacial da Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos EUA (NOAA). Espera-se que o fenômeno continue ao longo desta segunda-feira, 25 de março.

A origem dessa perturbação na magnetosfera terrestre é a transferência eficiente de energia do vento solar para o espaço ao redor do planeta. Essa dinâmica é geralmente desencadeada por variações no vento solar, que induzem mudanças significativas nas correntes, plasmas e campos magnéticos da Terra. Especificamente, essa tempestade foi provocada por uma ejeção de massa coronal do Sol, um fenômeno que lança nuvens de plasma e gás magnetizado no espaço, que, ao atingir o campo magnético terrestre, podem gerar diversos efeitos.

REPRODUÇÃO/NOAA

Entre os efeitos potenciais da tempestade geomagnética, estão a geração de auroras boreais e perturbações em sistemas tecnológicos vitais. Embora a NOAA tenha informado que a população em geral não precisa tomar medidas específicas, os responsáveis por infraestruturas críticas foram alertados para possíveis necessidades de mitigação.

A tempestade pode afetar comunicações de rádio de alta frequência, essenciais para a aviação comercial, conforme indicou Jonathan Lash, meteorologista da NOAA, à Associated Press. Isso pode dificultar a comunicação entre aeronaves e torres de controle, embora alternativas como comunicações via satélite estejam disponíveis. Além disso, o fenômeno pode complicar o rastreamento de naves espaciais e induzir correntes em redes elétricas, embora tais impactos sejam considerados gerenciáveis.

Destaques