Álcool causa 2,6 milhões de mortes todos os anos no mundo, alerta OMS

Em média, o consumo de álcool per capita entre consumidores é de 27 gramas de álcool puro por dia, equivalente a duas taças de vinho, duas garrafas de cerveja ou duas porções de bebidas destiladas

Por Plox

25/06/2024 13h26 - Atualizado há 17 dias

Divulgado nesta terça-feira (25) pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o Relatório Global sobre Álcool, Saúde e Tratamento de Transtornos por Uso de Substâncias revelou que o consumo de álcool resulta em 2,6 milhões de mortes anualmente, representando 4,7% de todas as mortes no mundo. O uso de drogas psicoativas é responsável por 600 mil mortes por ano.

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Impacto nos homens e nas regiões

O estudo, baseado em dados de 2019, indica que 2 milhões das mortes atribuídas ao consumo de álcool e 400 mil ao uso de drogas ocorrem entre homens. A maioria das mortes por álcool ocorre na Europa e na África, com taxas de mortalidade mais altas em países de baixa renda.

Doenças crônicas e acidentes

Em 2019, cerca de 1,6 milhões de mortes atribuídas ao álcool foram causadas por doenças crônicas não transmissíveis, incluindo 474 mil por doenças cardiovasculares e 401 mil por câncer. Além disso, 724 mil mortes foram decorrentes de ferimentos causados por acidentes de trânsito, automutilação e casos de violência.

Consumo per capita e padrões de consumo

O consumo total per capita de álcool diminuiu ligeiramente, de 5,7 litros em 2010 para 5,5 litros em 2019. Os índices mais elevados foram registrados na Europa (9,2 litros per capita) e nas Américas (7,5 litros per capita). Em média, o consumo de álcool per capita entre consumidores é de 27 gramas de álcool puro por dia, equivalente a duas taças de vinho, duas garrafas de cerveja ou duas porções de bebidas destiladas.

Prevalência do consumo excessivo

Em 2019, 38% dos consumidores de álcool relataram pelo menos um episódio de consumo excessivo no mês anterior à pesquisa. O consumo excessivo de álcool é mais prevalente entre os homens. Entre jovens de 15 a 19 anos, 23,5% relataram consumir álcool, com os índices mais altos na Europa (45,9%) e nas Américas (43,9%).

Declarações da OMS e objetivos futuros

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, destacou: “Coloca um fardo pesado sobre as famílias e as comunidades, aumentando a exposição a acidentes, lesões e violência”. Ele enfatizou a necessidade de ações urgentes para reduzir as consequências negativas do consumo de álcool e melhorar o acesso ao tratamento para transtornos por uso de substâncias, com o objetivo de alcançar as metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável até 2030.

 

 

 

 

Destaques