Golpe em Curitiba: fábrica clandestina produzia "vinho gaúcho" falsificado

Polícia apreende 16 mil garrafas de bebida adulterada no Paraná, rotuladas falsamente como vinho de Caxias do Sul

Por Plox

25/06/2024 09h07 - Atualizado há 28 dias

Uma operação conjunta entre o Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) e a Polícia Civil do Paraná resultou na descoberta de uma fábrica clandestina na região metropolitana de Curitiba, onde eram produzidos 32 mil litros de vinho falsificado. A operação ocorreu na última semana, com os golpistas rotulando a bebida como "vinho colonial gaúcho", supostamente produzido em Caxias do Sul (RS). No entanto, a bebida era uma mistura de suco, álcool e corante.

No local, as autoridades encontraram 16 mil garrafas de dois litros já envasadas e outras 16,5 mil garrafas vazias, prontas para serem utilizadas. O responsável pela fábrica foi preso em flagrante e enfrentará acusações por falsificação de produtos alimentícios. Nos últimos dois anos, o Mapa vinha apreendendo garrafas vendidas pelo grupo às margens de rodovias e, agora, conseguiu identificar e desmantelar o polo de produção.

O Mapa destacou em comunicado o risco significativo para os consumidores, dado que a origem dos ingredientes é desconhecida, sem qualquer controle de qualidade ou rastreabilidade. Claudinei Bertoletti, presidente da Associação dos Vitivinicultores do Paraná (Vinopar), enfatizou os danos causados pela falsificação ao setor vitivinícola.

“Produtos fraudulentos prejudicam a reputação dos vinhos nacionais, criando concorrência desleal com os que são produzidos dentro das normas e regulamentações do Ministério da Agricultura e que passam por rigorosos processos de controle de qualidade”, afirmou Bertoletti.

A ação demonstra a importância da fiscalização rigorosa para proteger tanto os consumidores quanto os produtores que seguem as regulamentações.

Destaques