Influencer é acusado de maus tratos a filha com paralisia cerebral

Igor Viana é investigado por desvios de doações e maus-tratos em Anápolis

Por Plox

25/06/2024 14h17 - Atualizado há 7 dias

O influencer Igor Viana, de 24 anos, está sendo investigado pela Polícia Civil de Anápolis (Goiás) por uma série de acusações envolvendo sua filha de 2 anos, que possui paralisia cerebral. As denúncias incluem desvio de doações destinadas ao tratamento da criança e comportamento depreciativo em relação a ela.

Foto: reprodução/ Redes sociais

Em declaração ao G1, Igor afirmou: “não imaginava que uma criança que tem 10% do cérebro funcionando fosse tão chata e pudesse me dar tanto problema. A vontade, às vezes, é de largar na porta do orfanato e deixar alguém se virar, alguém tomar conta”.

Ações da Polícia Civil
A delegada Aline Lopes, responsável pelo caso, informou que Igor compartilha a rotina da filha de forma desrespeitosa, chamando-a de "inútil" em publicações onde solicita que ela vá ao mercado. “Você não está fazendo uma brincadeira, você está expondo e causando constrangimento, não só a ela, mas a todas as crianças com deficiência, além da fala problemática no final. Tem outras postagens em que ele inferioriza a menina, causando constrangimento a ela pela condição de pessoa com deficiência”, afirmou Aline.

Suspeitas de desvio de recursos
Além de maus-tratos e constrangimento, Igor é suspeito de desviar dinheiro recebido através de doações destinadas ao tratamento da filha. A delegada explicou: “Ambos trabalham com a internet, mas a principal fonte de renda deles vem das doações que a menina recebe. Estamos apurando se houve desvio de dinheiro e se ele foi utilizado para algo que não seja o sustento e os tratamentos da menina”.

Envolvimento da mãe
A mãe da criança também está sob investigação por possível desvio de fundos. Aline Lopes destacou que, se os crimes de Igor forem comprovados, a mãe pode ser responsabilizada por omissão. “Ela, sendo a mãe, enquanto estava casada com ele, se não agiu para impedir isso, também responde por omissão. Como mãe, ela tem o dever de evitar e de não concordar com esse tipo de atitude. No momento em que concordou e permitiu o que ele fez, sem tomar providências, ela pode ser responsabilizada por omissão”, disse a delegada.

Igor Viana negou as acusações, justificando que não cometeu crime algum, pois "minha filha não tem Pix, então se eles foram trouxas, a culpa não é minha. Eu não sou obrigado a usar o dinheiro que eles mandam especificamente com a minha filha. Eu também tenho necessidades a serem supridas. Também sou um ser humano".

O casal está separado e a guarda da menina não está sendo disputada judicialmente, conforme acordo entre eles que determinou a residência da criança com o pai.

 

 

 

Destaques