VÍDEO: tia e sobrinho reagem a assalto e matam bandido

Criminoso de 21 anos foi baleado na sala de casa no bairro Jardim Virgínia; armas usadas estão registradas.

Por Plox

25/06/2024 08h46 - Atualizado há 21 dias

Durou menos de um minuto a reação de uma tia e seu sobrinho ao balearem e matarem um assaltante de 21 anos que invadiu a residência da família em Guarujá (SP). Segundo o boletim de ocorrência (BO), as armas estavam sobre a mesa da sala, facilitando a defesa das vítimas.

Vídeo: 

 

O crime

Imagens obtidas pelo g1 mostram que dois homens chegaram à casa no bairro Jardim Virgínia, no último sábado (22). No vídeo, é possível ver um dos bandidos estacionando a motocicleta enquanto o outro invadia a casa. Ao ouvir os disparos, o comparsa fugiu.

A tia, de 45 anos, autônoma, relatou que estava sentada à mesa da sala e seu sobrinho, de 23 anos, no sofá, quando o assaltante entrou armado e anunciou o roubo, apontando a arma para ela. Ela prontamente pegou sua pistola e disparou. Simultaneamente, o sobrinho pegou outra arma sobre a mesa e também atirou.

Foto: reprodução

 

Investigações e registros legais

A Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-SP) informou que foi instaurado um inquérito para apurar os fatos. O caso foi registrado como tentativa de roubo e homicídio com excludente de ilicitude por legítima defesa.

O Instituto de Criminalística (IC) recolheu as armas para perícia. A família possuía duas pistolas registradas, calibres .45 e 9 milímetros, enquanto o assaltante estava com um revólver calibre 357.

Contexto legal

A Lei Federal 10.826/2003, conhecida como Estatuto do Desarmamento, estabelece parâmetros para o uso de armamentos. Fabricio Posocco, advogado, explicou ao g1 que existem penalidades para o porte irregular de arma de fogo, variando de 1 a 12 anos de reclusão, dependendo da infração.

Declarações

O delegado Wagner Camargo Gouveia confirmou que a família tem registro de posse de armas. Luiz Fernando Mendes Cunha, advogado da família, afirmou que o assaltante invadiu a casa anunciando o roubo, e que a reação da tia e do sobrinho foi imediata e em legítima defesa.

Segundo Cunha, outras pessoas da família estavam na casa, e a Polícia Militar foi acionada por populares ao ouvir os disparos, preservando a área do crime. A polícia está agora em busca do comparsa do assaltante.

Destaques