Fundação Renova se pronuncia sobre manifestação no Vale do Aço

26/02/2020 18:24

A Fundação Renova pronunciou-se em relação ao protesto realizado por moradores do bairro Ipaba, de Santana do Paraíso-MG, realizado no fim da manhã dessa terça-feira (25), na linha férrea da Estrada de Ferro Vitória/Minas. 

De acordo com a nota enviada pela Fundação Renova ao PLOX, os manifestantes se retiraram da ferrovia nesta quarta-feira (26) e, nesta quinta (27) será realizada uma visita às lideranças para que a fundação possa “entender a demanda” dos manifestantes. 

WhatsApp Image 2020-02-25 at 18.56.11 Reprodução/Redes Sociais

 

Ainda na nota, a Fundação Renova disse que “em relação ao sistema de abastecimento de água em Ipabinha, estão previstas para serem realizadas obras de melhorias este ano”. Segundo a nota serão feitas manutenções em poços tubulares existentes e outros poços serão perfurados.

A Fundação Renova finalizou o comunicado dizendo que “considera legítima qualquer manifestação popular, coletiva ou individual e reafirma que possui o diálogo como prática norteadora de suas ações”.

Confira a nota na íntegra:

A Fundação Renova informa que os manifestantes de Ipabinha se retiraram nesta quarta-feira (26) da linha férrea. Na quinta-feira (27), será feita uma visita às lideranças para entender a demanda. Posteriormente, se for necessário, a Fundação fará uma reunião com os representantes do movimento.
Em relação ao sistema de abastecimento de água em Ipabinha, estão previstas para serem realizadas obras de melhorias este ano. Serão feitas infraestrutura, limpeza e recuperação de 11 poços tubulares existentes, para a instalação de filtros em todas as residências impactadas. Também estão previstas as perfurações de quatro poços tubulares com seus respectivos filtros.  
A Fundação reitera que considera legítima qualquer manifestação popular, coletiva ou individual e reafirma que possui o diálogo como prática norteadora de suas ações.
Até dezembro de 2019, foram destinados R$ 7,84 bilhões para as ações integradas de recuperação e compensação. Cerca de R$ 2,11 bilhões foram pagos em indenizações e auxílios financeiros emergenciais para cerca de 320 mil pessoas.



Publicidade