Epidemia de dengue no Brasil: casos e mortes em alta

Dados recentes revelam aumento preocupante de casos de dengue, com 184 óbitos já confirmados e medidas de prevenção intensificadas

Por Plox

26/02/2024 21h58 - Atualizado há cerca de 2 meses

No início de 2024, o Brasil enfrenta uma preocupante onda de dengue, com o Ministério da Saúde reportando um acúmulo de 920 mil casos nas primeiras oito semanas do ano. Este alarmante número é acompanhado por 184 mortes confirmadas devido à doença, além de outras 609 sob investigação, destacando uma crise sanitária que demanda atenção e ação imediatas.

GABRIEL JABUR/AGÊNCIA BRASÍLIA - 08/04/2015

Impacto e Distribuição da Dengue

A dengue tem mostrado uma incidência de 453 casos por cada 100 mil habitantes, afetando majoritariamente indivíduos entre 30 e 59 anos, com as mulheres representando 55% dos infectados. O Distrito Federal lidera em número de casos, registrando quase 100 mil ocorrências e uma alarmante taxa de incidência de 3.484 casos por 100 mil habitantes. Neste cenário, 51 mortes foram confirmadas e 78 estão em investigação no DF, evidenciando a gravidade da situação.

Estratégias de Controle e Prevenção

Para combater a proliferação do mosquito Aedes aegypti, vetor da dengue, autoridades de saúde reforçam a importância de medidas de prevenção. Entre as recomendações, destacam-se a recepção adequada aos agentes de saúde, o uso de repelentes, a instalação de telas em áreas propensas, e a inspeção semanal em busca de possíveis focos de larvas. Ações como a disposição correta de resíduos sólidos, a limpeza de calhas e a proteção de recipientes que possam acumular água são fundamentais para evitar a reprodução do mosquito.

Vacinação como Ferramenta de Prevenção

Em uma tentativa de mitigar o avanço da doença, o Ministério da Saúde adquiriu 5,2 milhões de doses de vacina contra a dengue para o ano corrente, com a expectativa de distribuir 9 milhões de doses em 2025. Até o momento, 492 localidades já foram beneficiadas com os imunizantes, e há planos de expandir a cobertura vacinal para outras 29 cidades em breve, visando proteger a população contra futuros surtos.

Além do Distrito Federal, estados como Minas Gerais, Acre, Paraná e Espírito Santo estão entre os mais afetados, representando quase 60% do total de casos no país. Por outro lado, Maranhão, Alagoas, Ceará, Pernambuco e Piauí apresentam as menores taxas de incidência, demonstrando uma distribuição desigual da doença pelo território nacional.

Destaques