Minas Gerais registra alto índice de trabalho infantil em 2023

O problema se manifesta vividamente nas ruas de cidades como Contagem

Por Plox

26/02/2024 08h29 - Atualizado há cerca de 2 meses

Em 2023, Minas Gerais se destacou negativamente pelo elevado número de casos de trabalho infantil, posicionando-se como o segundo estado brasileiro com maior incidência, logo após o Mato Grosso do Sul. Segundo dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), 326 menores foram retirados de atividades laborais, mas estudos indicam que até 280 mil crianças e adolescentes mineiros podem ainda estar trabalhando. 

Foto: Reprodução/ Pixabay

O problema se manifesta vividamente nas ruas de cidades como Contagem, onde jovens como Pedro, de 15 anos, e João, de 12 anos, compartilham suas histórias de trabalho nas vias públicas para contribuir com o sustento familiar. Essas narrativas evidenciam não apenas a perda da infância, mas também a exposição precoce a riscos e a uma vida adulta repleta de desafios. O trabalho infantil, além de comprometer a saúde física e emocional desses jovens, os coloca em situações vulneráveis, incluindo o risco de envolvimento com drogas e criminalidade.

Foto: Reprodução/ Pixabay

Elvira Cosendey, coordenadora do Fórum de Erradicação e Combate ao Trabalho Infantil, destaca o impacto devastador dessa realidade na inocência e desenvolvimento saudável das crianças. A exploração do trabalho infantil é comparada pelo MTE ao trabalho análogo à escravidão, evidenciando a severidade e a urgência de combate a essa prática.

Apesar dos desafios, esforços conjuntos entre o governo estadual, a Prefeitura de Belo Horizonte e a sociedade são fundamentais para erradicar o trabalho infantil. Iniciativas como o Protocolo de Operacionalização do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil e campanhas de conscientização são passos importantes nessa direção.


 

Destaques