Reajustes salariais em janeiro alcançam maior percentual em 17 anos

Dados do Salariômetro apontam para avanços significativos em negociações coletivas, com destaque para a construção civil

Por Plox

26/02/2024 12h58 - Atualizado há cerca de 2 meses

O mês de janeiro de 2024 marcou um período de avanços significativos para os trabalhadores brasileiros em termos de reajuste salarial. Segundo informações divulgadas pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), através do boletim Salariômetro, o aumento mediano real dos salários alcançou 2%, o melhor índice para o mês desde o início dos registros em 2007. Este desempenho representa o mais expressivo desde dezembro de 2013, considerando todos os meses.

Desempenho por setor e região

Entre os diversos setores, a construção civil se destacou com o maior aumento real, registrando 2,79%. Em seguida, o setor de serviços, com 2,29%, e a indústria, com 1,29% acima da inflação, demonstram o sucesso das negociações salariais. O Salariômetro também revela que a grande maioria das negociações, 90,2%, resultou em reajustes superiores ao Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), refletindo uma tendência positiva no poder de compra dos trabalhadores.

Além disso, a análise por regiões mostra uma uniformidade entre o Centro-Oeste, Nordeste, Norte e Sudeste, todos com reajuste mediano de 2,29%. A região Sul, no entanto, apresentou um índice menor, de 1,29%. No mapeamento estadual, Roraima liderou com o maior reajuste mediano, de 3,81%, enquanto Mato Grosso registrou o menor, com 0,43%.

Convenção coletiva: um instrumento de negociação

A convenção coletiva desempenha um papel crucial neste processo, atuando como um acordo entre sindicatos de trabalhadores e representantes dos empregadores para estabelecer normas de trabalho. Essas negociações abrangem não apenas salários, mas também horas extras e outras condições de trabalho, reforçando a importância do diálogo entre empregados e patrões para a melhoria contínua das condições laborais.

Destaques