Investigação continua firme nas CPIs da Câmara Municipal de Belo Horizonte, garantem relatores

A CPI deve continuar até o dia 12 de junho, e já tem marcada a participação de figuras importantes da administração pública municipal

Por Plox

26/05/2023 18h56 - Atualizado há 11 meses

Apesar das suspeitas de que as Comissões Parlamentares de Inquérito (CPIs) da Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) estariam perdendo fôlego, os relatores das comissões reforçam a continuidade e relevância dos trabalhos, mesmo com prazos estendidos além dos 120 dias originalmente estabelecidos

 

bFoto::Reprodução

.

Investigando as profundezas da Lagoa da Pampulha

Uma dessas CPIs, com início em dezembro de 2022, foca em possíveis inconsistências nos contratos de limpeza e recuperação da Lagoa da Pampulha. Desde então, o vereador Bráulio Lara (Novo), relator da comissão, conduziu 23 reuniões e colheu depoimentos de 33 pessoas. A CPI deve continuar até o dia 12 de junho, e já tem marcada a participação de figuras importantes da administração pública municipal, como Josué Valadão, ex-secretário de Obras e Infraestrutura e atual secretário de Governo da PBH, além dos servidores Ricardo Miranda Aroeira e Ana Paula Furtado.

Lara afirma que a CPI tem a função crucial de entender "de quem são as responsabilidades sobre cada uma das decisões" tomadas na gestão da lagoa, já tendo esclarecido as metodologias errôneas utilizadas, que acabam perpetuando os problemas ao invés de resolvê-los.

A Máquina Pública e o Abuso de Poder

Paralelamente, outra comissão, sob relatoria da vereadora Fernanda Altoé (Novo), está investigando alegações de abuso de poder contra o ex-prefeito Alexandre Kalil (PSD). As acusações envolvem uso indevido do cargo para interferir na construção do estádio Arena MRV e para obter vantagens em relação ao pagamento de IPTU na cidade.

A CPI do Abuso de Poder, que começou em 2023 e tem previsão de término em 26 de julho, mantém-se firme apesar da ausência de informações concretas sobre os próximos passos, de acordo com a vereadora Fernanda. Ela ressalta que a comissão tem trabalhado de forma sistemática, primeiramente focando na cobrança de IPTU do ex-prefeito Kalil e, em seguida, nas contrapartidas para a construção da Arena MRV.

Entre críticas e respostas

Enquanto as CPIs prosseguem, Alexandre Kalil não hesitou em expressar suas críticas em uma entrevista à FM O TEMPO, alegando que o trabalho das comissões seria uma "brincadeira de péssimo gosto".

Em resposta, Fernanda ressalta que a falta de discussões acaloradas e embates diretos nos depoimentos não são sinais de esvaziamento das comissões, mas sim de uma abordagem mais objetiva e respeitosa, característica de seu trabalho e do presidente da CPI, o vereador Wesley.

Em meio a todas as turbulências, os relatores insistem na seriedade e no engajamento dos trabalhos. Bráulio Lara, por exemplo, afirma que a CPI da Lagoa da Pampulha está empenhada em revelar "as responsabilidades sobre cada uma das decisões". Para ele, esse trabalho é primordial para Belo Horizonte, e a presença constante de todos os envolvidos nas reuniões demonstra o compromisso com a causa.

Mais depoimentos estão por vir

Os próximos dias serão fundamentais para o progresso das investigações. A CPI da Lagoa da Pampulha deve receber o depoimento de figuras chave, como o secretário de Governo Josué Valadão, responsável pelos contratos de limpeza da Lagoa, e os servidores Ricardo Miranda Aroeira e Ana Paula Furtado, ambos sob investigação.

Palavras duras, mas trabalho contínuo

Apesar das críticas contundentes de Alexandre Kalil, a CPI do Abuso de Poder segue seu curso. A vereadora Fernanda Altoé reforça que a ausência de embates diretos não é um sinal de esvaziamento da comissão, mas uma característica da forma como ela e o presidente da CPI, o vereador Wesley, conduzem o trabalho: com objetividade e respeito.

Fernanda assegura que a CPI "tem sido muito exitosa naquilo que se propôs: investigar documentos que nós já tínhamos sobre a condução da execução de dívidas do IPTU do ex-prefeito Alexandre Kalil". Ela também garante que a comissão fará indicações relevantes para a cidade.

 

Destaques