“Não fecho Fabriciano nem mais um dia”, diz prefeito sobre possibilidade de Lockdown

26/06/2020 11:08

O prefeito ainda afirmou que não confia no governo do estado, pois promessas já foram feitas e não foram cumpridas

Ontem (24), durante a coletiva de inauguração da UPA, em Coronel Fabriciano-MG, o prefeito Marcos Vinícius, questionado sobre a possibilidade de lockdown no Vale do Aço, afirmou que não irá punir a cidade.
 
“Eu não fecho Fabriciano nenhum dia a mais. O meu sistema de Saúde que eu preparei para Covid está ocioso. Por que Fabriciano tem que ser penalizado por quem não trabalhou?”, disse o prefeito se referindo a fala do governador Romeu Zema, sobre as chances de 90% de decretar lockdown em algumas regiões do estado.

Veja o vídeo:


 
O prefeito ainda afirmou que não confia no governo do estado, pois promessas já foram feitas e não foram cumpridas. “É um governo que a gente não pode confiar. Se a gente sabe que o isolamento social é para preparar o sistema de saúde, o que adianta a gente ficar isolado nessa altura do campeonato onde nós já estamos entrando no quarto mês da pandemia no Vale do Aço? Pra nós ficarmos mais 14 dias isolados, sem nenhum investimento em saúde? Eu fui para a reunião da Agência Metropolitana, com a promotoria e Fabriciano não pode ser penalizada”, afirmou Marcos Vinícius.

WhatsApp Image 2020-06-25 at 10.25.46Foto: Marcelo Augusto / Plox


 
A reunião que pode definir um novo fechamento do comércio não essencial na região do Vale do Aço, e que foi adiada nessa quinta-feira (25), foi remarcada para a próxima segunda-feira (29), às 9 horas. 
 
O encontro entre os prefeitos será promovido pela Agência de Desenvolvimento da Região Metropolitana do Vale do Aço e será realizada na sede da FIEMG Regional. Segundo nota divulgada pela Agência, a alteração da data se deu por conflitos nas agendas dos membros participantes.
 
Na última segunda-feira (22), representantes das cidades do Vale do Aço e entorno se reuniram com o representante do Ministério Público, Rafael Pureza e do superintendente da Saúde da Macrorregião do Vale do Aço. 
 
Na reunião, um dos temas discutidos foi a possibilidade de um novo decreto que poderá suspender as atividades do comércio por 14 dias em todas as cidades que fazem parte da macrorregião do Vale do Aço.
 
Em contrapartida, o Governo do estado assumiria o compromisso de investir nas cidades para aumentar o número de leitos hospitalares necessários para atender a população da macrorregião do Vale do Aço.