Sobreviventes relatam detalhes do momento do acidente envolvendo carreta e ônibus

De acordo com informações divulgadas, o ônibus estava irregular e o motorista do caminhão não tinha habilitação D, para veículos desse porte

Por Plox

26/11/2020 12h47 - Atualizado há mais de 3 anos

Dois sobreviventes do acidente envolvendo um ônibus e um caminhão, ocorrido na manhã dessa quarta-feira (25), em Taguaí, no interior de São Paulo, relataram para uma emissora de TV detalhes sobre o momento do acidente. No acidente, 41 pessoas morreram e 10 ficaram feridas.

Elian Marcos, passageiro do ônibus e um dos sobreviventes, esteve na manhã desta quinta-feira (26), em um programa de TV, relatando detalhes sobre o acidente. Além dele, Danilo José, passageiro do caminhão, também relatou detalhes do acidente.

Segundo Elian Marcos, disse que foi arremessado do ônibus, mas conseguiu se levantar e teve apenas ferimentos leves em um dos cotovelos. Elian relatou também que estava acordado e viu todo o momento do acidente. "Eu estava acordado e vi tudo. A carreta passou a cerca de meio metro de mim. Fui jogado do veículo, acordei zonzo, e fui ver as vítimas. Infelizmente não havia o que fazer, uma cena horrível", disse o sobrevivente.

Ainda segundo Elian, nenhum dos passageiros estariam utilizando o cinto de segurança. contou Elian, que afirmou que ninguém usava cinto de segurança.

 

Imagem mostra ônibus destruído
Ônibus ficou destruído: Foto: reprodução/TV

 

 

Já Danilo José relatou que foi tudo muito rápido, e que o ônibus teria entrado na contramão, onde a carreta estaria trafegando. Ele relatou que só escutou Geison Gonçalves Machado, de 22 anos, que estava dirigindo o caminhão, gritar: “o ônibus" e ocorreu a colisão.

"Estávamos carregando em Taquarituba e, depois, dormimos. Saímos cedo e, depois de rodado cinco minutos após sair do posto, estávamos em uma curva, na nossa mão, quando o ônibus começou a ultrapassar. Meu amigo falou só 'o ônibus' e já batemos. Não deu tempo de nada. Meu amigo chegou a tirar o caminhão, mas não conseguiu e pegamos em cheio", disse Danilo José.

 

Equipes de resgate trabalharam por cerca de 9 horas no local
 Equipes de resgate trabalharam por cerca de 9 horas no local. Foto: reprodução/TV

 

Motorista do caminhão não tinha carteira D

Geison Gonçalves, que estava dirigindo o caminhão envolvido no acidente, não tinha habilitação da categoria D, para dirigir caminhões. A informação foi confirmada pela companheira de Geison Gonçalves.

Segundo ela,  Geison tinha apenas habilitação da categoria B, para carros. Por conta da falta de habilitação, ele sempre levava um caminhoneiro nas viagens.


Ônibus estava irregular

A empresa de ônibus Star Viagem e Turismo, que teve um ônibus envolvido no acidente não tinha permissão para operar. A informação é da Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

De acordo com as informações da Artesp, a empresa foi multada diversas vezes e era considerada clandestina. Também não há registros da empresa no site da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).

Segundo as informações, o veículo envolvido no acidente tem registradas 11 multas e estava com IPVA, DPVAT e licenciamento atrasados, o transformando em irregular para circular. 
 

Destaques