Epidemia que já matou mais de 80 pessoas se alastra e preocupa vários países 

27/01/2020 09:16

Com a confirmação de casos nos Estados Unidos e Canadá o receio da doença chega às Américas

Uma epidemia, provocada pelo vírus popularmente conhecido como Coronavírus, iniciada na China, onde já matou, confirmadamente, mais de 80 pessoas, já preocupa autoridades de todo o mundo, pois se alastra rapidamente. Cerca de 800 pessoas foram contaminadas no pais, quase 200 estão em estado grave. Mais de 1000 casos casos suspeitos estão sendo monitorados pelo governo.

O governo Chinês está proibindo a saída de voos turísticos do país e intensificou as medidas de isolamento, controle e prevenção para impedir a propagação da epidemia.

Autoridades decretaram alerta máximo em Hong Kong, verificações sistemáticas nos transportes de norte a sul e  restrições de tráfego em Wuhan, cidade onde concentra o foco principal da epidemia.

Hospital Coronavirus
Uma força tarefa está construindo dois hospitais em caráter de urgência para os casos da doença na China. Foto: divulgação do governo 


As viagens no interior do país já estão sob restrição desde sexta-feira (24). A partir desse domingo (26), as corridas intermunicipais entre Pequim e outras cidades também foram restringidas.

O presidente chinês Xi Jinping admitiu que o caso é grave. Dois grandes hospitais estão sendo concluídos em caráter de urgência e devem ficar prontos nos próximos dias. “Se mantivermos nossa confiança, trabalhando em cooperação com os estudos científicos de prevenção e seus respectivos tratamentos, aliados às políticas combativas, seremos, com certeza, capazes de vencer essa batalha”, afirmou Xi Jinping.

coronavirus

Uma grande equipe da área de saúde faz uma "operação de guerra" para evitar que os casos se alastrem ainda mais. Foto: divulgação do governo

Xangai, capital financeira da China, teve uma morte registrada. O caso já foi confirmado pela administração pública e demonstra que a doença está se alastrando para fora de Wuhan.


Vários países


13 países já informaram terem casos confirmados de contaminação em seus territórios. A disseminação a partir da cidade de Wuhan, com população de 11 milhões, está sendo muito rápida, pois coincidiu com as festividades do Ano Novo Chinês, época em que aumentam as viagens internas na China, inclusive por turistas de países vizinhos. 

O Japão, por exemplo, foi um dos primeiros países a confirmarem a doença em seu território, assim como Tailândia, Vietnã, Coreia do Sul, Taiwan, Nepal e Singapura.

Shinzo Abe, primeiro-ministro do Japão, informou nesse domingo que o país vai retirar japoneses que vivem em Wuhan.
 
Os Estados Unidos estão organizando um voo charter para trazer se cidadãos, diplomatas e familiares de volta da cidade chinesa de Wuhan. O avião, com cerca de 230 pessoas, deve sair da China nesta terça-feira (28).

A França é primeiro país da Europa a ter confirmação de casos. Autoridades confirmaram na sexta-feira três casos de coronavírus, na capital, Paris e na cidade de Bordeaux. Com a doença confirmada na Europa, o medo de uma globalização da doença aumenta. Paris é uma das cidades mais visitadas do mundo. 
  
O país também deve repatriar funcionários alocados na fábrica da Peugeot em Wuhan. A operação, coordenada pelas autoridades chinesas e pelo consulado francês, deve retirar 38 pessoas da região.

Uma aeronave também foi designada pelo rei Abdullah II, da Jordânia, para retirar cidadãos de seu país que estão na China. Autoridades chinesas. já autorizaram a operação.
 
  
 
Brasil
 
Com a confirmação de casos nos Estados Unidos e Canadá o receio da doença chega às Américas. O Ministério da Saúde descartou cinco casos que estavam sob suspeita em território brasileiro.
 
Os casos foram observados em São Paulo, Santa Catarina, Minas Gerais, Distrito Federal e Rio Grande do Sul.
 
Apesar do descartes dessas suspeitas as autoridades brasileiras estão em estado de alerta principalmente quanto aos viajantes oriundos da Ásia.