Jovem marcado com tatuagem de "ladrão e vacilão" é detido após furto em SP

A prisão ocorreu apenas dois dias após a sua soltura, conforme os registros policiais.

Por Plox

27/03/2024 18h37 - Atualizado há 3 meses

Nesta quarta-feira (27), Ruan Rocha Silva, de 23 anos, conhecido por ter sido vítima de uma tatuagem forçada com os dizeres "ladrão e vacilão" em sua testa aos 17 anos, foi detido pela Polícia Militar. Ele é acusado de praticar furto em uma residência no Jardim Arpoador, zona oeste de São Paulo. A prisão ocorreu apenas dois dias após a sua soltura, conforme os registros policiais.

Foto: Reprodução/Redes Sociais 

Detenção após liberdade:

  • Silva havia sido liberado recentemente, na segunda-feira (25), após cumprir pena integralmente por um furto cometido em 2019. A documentação confirmando sua soltura foi divulgada pelo Metrópoles.
  • Suspeita de novo crime:
  • A Polícia Militar relata que Silva, junto de outro indivíduo, foi encontrado nas proximidades do local do furto. Os objetos furtados foram recuperados, e o caso está sob investigação do 89º Distrito Policial no Morumbi.

Antecedentes e repercussão

  • Fuga e arrependimento:
  • Em dezembro de 2023, enquanto ainda estava no Centro de Detenção Provisória Belém 1, em São Paulo, Silva fugiu com outros seis detentos. Porém, arrependeu-se e entregou-se à Polícia no dia seguinte, o que resultou na perda do benefício do regime semiaberto, permanecendo em regime fechado até março deste ano.
  • Tatuagem como punição:
  • Aos 17 anos, Silva teve seu rosto marcado por Ronildo Moreira de Araújo e Maycon Wesley Carvalho dos Reis após uma tentativa frustrada de furto de bicicleta. O ato foi justificado pelos agressores como uma forma de represália. A situação de Silva, que na época era um dependente químico vivendo com sua família, gerou grande mobilização social, incluindo uma campanha de financiamento coletivo para remover a tatuagem.
Destaques