Em Ipatinga, reunião discute estratégias para população em situação de rua

A PMI se reuniu com empresários e autoridades para abordar o tema

Por Plox

27/04/2019 08h24 - Atualizado há cerca de 5 anos

O crescente número de moradores em situação de rua, não somente nas grandes capitais do país, mas também em cidades do interior, vêm mobilizando variados setores da sociedade. Em Ipatinga não é diferente. Atentos a este fenômeno social, a Prefeitura promoveu na manhã dessa sexta-feira (26), um encontro com empresários e autoridades locais para discussão do assunto. 

Durante a reunião, profissionais da Secretaria Municipal de Assistência Social apresentaram o diagnóstico realizado pela Polícia Militar sobre a situação da população de rua na cidade, detalhando também os serviços públicos ofertados no município. 

IPATINGA(Foto: SECOM/PMI)

Segundo o secretário de Assistência Social, Lúcio Aguiar, atualmente, Ipatinga conta com todos os serviços exigidos pelo governo federal para assistência ao público.
“Mesmo a administração municipal sentindo o impacto financeiro devido aos atrasos nos repasses de recursos estaduais e federais, as ações no município não paralisaram. Para se ter ideia do que isso representa, em 2018, mais de R$ 1.500.000,00 em verbas próprias foram investidas em serviços assistenciais, colaborando com o processo de saída das ruas de 40 pessoas”, explica.

Na oportunidade, alguns empresários explanaram sobre as dificuldades vivenciadas no cotidiano de seus comércios com as pessoas que se encontram em situação de rua. 

Representando a Polícia Militar, o capitão Lindhon Jonhson enfatizou o trabalho realizado pela corporação para coibir situações de tráfico e uso de drogas em pontos específicos da cidade.  
“A PM tem mantido estratégias de policiamento constantes na avenida Maanaim e no seu entorno, como exemplo. Em 2018, foram efetuadas 76 ocorrências de tráfico de drogas e neste ano, até o momento, 37”. Ainda de acordo com o militar, o 14º Batalhão se mantém a disposição do Executivo Municipal para juntos colocarem em prática as políticas públicas que dizem respeito a essas questões sociais. 

O secretário de Governo, Carlos Lima, avaliou como produtivo o encontro. 
“Tiramos como encaminhamento, a criação de um Grupo Estratégico de Intervenção e Prevenção para mapearmos os pontos frágeis da cidade e as intervenções eficazes nas questões apresentadas”. 

Responsabilidade de todos

A secretária adjunta de Assistência Social da Prefeitura de Ipatinga, Cláudia Castro, alertou ainda que o crescente número de moradores em situação de rua não é um problema apenas da Assistência Social. 

“É preciso ter a consciência que a pessoa em situação de rua é uma questão social complexa. A sociedade e o poder público precisam estar unidos. Não existe receita pronta. É preciso empenho de todos para contribuir na construção de uma sociedade que possa dar dignidade a estas pessoas”, salientou.

Os serviços existentes no município para atender pessoas em situação de rua são o Centro Pop, localizado na  Rua Pouso Alegre, nº 34, no Centro. O Parusia situado na avenida João Valentim Pascoal, nº 40, Centro, o Consultório na Rua que oferta serviços de atenção básica na área de saúde; a Clínica Psicossocial (Clips), serviço especializado em reabilitação psíquica e social, no bairro Cidade Nobre, e o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS).

Participantes
O evento contou com a presença de secretários municipais, comerciantes do bairro Cidade Nobre, representantes do 14º Batalhão de Polícia Militar, do Conselho de Segurança Pública, da Pastoral do Povo de Rua, dos membros da Associação de moradores do bairro Iguaçu, de conselheiros do Conselho Municipal de Política de Álcool e Drogas, além de servidores públicos da Abordagem Social.
 
 

Destaques