Caos na saúde regional provoca situação dramática em serviços de urgência de Ipatinga

27/06/2019 06:57

A secretária de Saúde informa ainda que o município notificará a Superintendência Regional de Saúde quanto à gravidade da situação vivida hoje por Ipatinga

Publicidade

Os constantes atrasos nos repasses de recursos pelo governo estadual e que penalizam severamente os municípios mineiros – a ponto de somente Ipatinga ter o seu caixa desfalcado em mais de R$ 80 milhões na saúde –, além do fechamento dos Hospitais de Caratinga e de Bom Jesus do Galho, desde março, vem gerando uma situação de superlotação e caos na UPA e Hospital Municipal, denuncia a secretaria municipal ligada à área. Ainda conforme a repartição, tudo isso é somado à dificuldade de contratação de médicos para as Unidades Básicas de Saúde. Apesar de recorrentes aberturas de editais de Processos Seletivos, os candidatos não se sentem atraídos a ocupar as vagas, que exigem o cumprimento de jornadas de oito horas diárias de trabalho.

Em reunião com prefeito Nardyello Rocha, na manhã desta quarta-feira (26), a secretária de Saúde de Ipatinga, Érica Dias, detalhou o preocupante cenário que impacta diretamente na assistência aos moradores locais, apesar de todos os esforços para manter o atendimento em níveis aceitáveis. “A cidade vem sofrendo por ser a única, apesar de todos estes fatores adversos, a receber pacientes do SUS, dando vazão ainda à demanda de 35 municípios que compõem a macrorregião de saúde de Caratinga e de Coronel Fabriciano”, enfatizou Érica.

Leitos ocupados no Hospital Municipal de Ipatinga. (Foto: divulgação PMI)Leitos ocupados no Hospital Municipal de Ipatinga. (Foto: divulgação PMI)

“Atualmente, a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) no bairro Canaã, está com 45 pacientes internados, em situação grave, aguardando transferência para unidades hospitalares da região, um quadro completamente anômalo ao seu perfil, já que não pode abrigar doentes por mais de 24 horas. 

Já o Hospital Municipal Eliane Martins (HMEM) passa por situação pior. Segundo Érica Dias, “todos os leitos de internação estão ocupados. Além disso, há boxes de emergência que foram transformados em leitos, diante do quadro aflitivo. Estão ocupados os 127 leitos de internação existentes no HMEM e, nos boxes, foram abertos provisoriamente mais oito leitos, o que representa 106% de ocupação, sendo que o preconizado pela Organização Mundial de Saúde, para segurança do paciente, é de 85%. Do total, 63 leitos são ocupados por pacientes de outros municípios”, detalha.

Hospital Municipal de Ipatinga. (Foto: divulgação PMI)Hospital Municipal de Ipatinga. (Foto: divulgação PMI)

A secretária de Saúde informa ainda que o município notificará a Superintendência Regional de Saúde quanto à gravidade da situação vivida hoje por Ipatinga. 

De acordo com o prefeito Nardyello Rocha, “apesar da grave retenção de recursos por parte do governo do Estado, Ipatinga não tem medido esforços para atender à população da melhor maneira possível. Mas, por ter que receber também pacientes de municípios e regiões vizinhas que se encontram com hospitais fechados, a situação está ficando insustentável. Entretanto, em vez de fechar Unidades, vamos optar sempre por redobrar nossos esforços para ofertar uma assistência humanizada e de qualidade”.  

O QUE DIZ O HOSPITAL MÁRCIO CUNHA

"Em resposta à matéria veiculada no dia de ontem (26/06) pela Prefeitura Municipal de Ipatinga, o Hospital Márcio Cunha (HMC), administrado pela Fundação São Francisco Xavier (FSFX), esclarece que não deixou de atender os pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS), muito pelo contrário, mais de 70% dos atendimentos da Instituição são voltados ao SUS.

Referência para uma população de 1 milhão e 600 mil habitantes de 88 municípios da região Leste e Nordeste de MG, o Márcio Cunha é um hospital geral, credenciado para atendimentos de alta e média complexidade para o SUS. Diariamente o HMC recebe pacientes transferidos de acordo com a disponibilidade de vaga, sendo que 86% das transferências são provenientes da Unidade de Pronto Atendimento e do Hospital Municipal de Ipatinga. A taxa de ocupação SUS do Hospital Márcio Cunha em 2019 está em média de 96% e a taxa de ocupação de hoje (27) é de 96,4%, sendo que 69,2% refere-se a pacientes internados da microrregião de Ipatinga, 18,6% a de Fabriciano, 7,5% a de Caratinga e 4,7% as demais regiões que o Hospital Márcio Cunha é referência.  De janeiro a junho deste ano o número de pacientes do SUS internados no HMC chegou a 1.800 média/mês, sendo que 80% dos casos atendidos eram de urgência e emergência.

O HMC tem garantido o atendimento nas transferências com acesso imediato aos pacientes nos casos de emergências e alta complexidade que tem somente o Márcio Cunha como referência. Na tentativa de aumentar a capacidade de atendimento aos pacientes do SUS no mês passado o HMC disponibilizou 10 novos leitos cirúrgicos".
 

Matéria atualizada às 14h43 para a inclusão da nota do Hospital Márcio Cunha

 



Publicidade