Ex-diretores da Americanas são presos por fraudes contábeis de R$ 25,3 bilhões

Os envolvidos são acusados de participação em fraudes contábeis que somam R$ 25,3 bilhões.

Por Plox

27/06/2024 08h36 - Atualizado há 15 dias

Nesta quinta-feira (27), a Polícia Federal (PF) realizou uma operação contra ex-diretores da empresa Americanas, cumprindo dois mandados de prisão preventiva e 15 de busca e apreensão. Os envolvidos são acusados de participação em fraudes contábeis que somam R$ 25,3 bilhões.

Além das prisões e buscas, a Operação Disclosure também executa o sequestro de bens e valores dos ex-diretores, totalizando mais de R$ 500 milhões. As ordens judiciais foram emitidas pela 10ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, com base em investigações da PF, do Ministério Público Federal e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

Reprodução

Segundo a PF, a investigação contou com a colaboração da atual diretoria da empresa. As fraudes apuradas envolvem operações de risco sacado, onde a Americanas antecipava pagamentos a fornecedores por meio de empréstimos bancários, e contratos de verba de propaganda cooperada (VPC), contabilizando incentivos comerciais fictícios.

A nota da PF detalha que os ex-diretores da Americanas praticaram fraudes contábeis que afetaram significativamente a saúde financeira da empresa, atualmente em recuperação judicial. Os investigados enfrentam acusações de manipulação de mercado, uso de informação privilegiada, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Destaques