Itaú fecha 21 agências em BH e demite milhares de trabalhadores

Sindicato dos Bancários de BH e Região aponta um fechamento por mês em BH e região

Por Plox

27/06/2024 07h57 - Atualizado há 25 dias

O banco Itaú encerrou 21 agências em Belo Horizonte e região metropolitana nos últimos 18 meses, o que resultou na perda de 3.292 postos de trabalho, conforme dados do Sindicato dos Bancários de BH e Região. Destes, 1.342 foram perdidos apenas nos últimos três meses. Em julho, estão previstas mais fechamentos das agências BH Praça São Vicente, BH Lourdes e Betim.

Reprodução Instagram 

Segundo Ramon Peres, presidente do sindicato e supervisor operacional do Itaú, o fechamento das agências prejudica o atendimento ao cliente. "É inaceitável que inúmeros bairros de Belo Horizonte já não contem com qualquer unidade bancária para prestar serviço à população. Nas agências que sobram, o cenário é de superlotação, longas filas e demora no atendimento", afirmou.

Peres questiona a justificativa do banco para os fechamentos, visto que o Itaú registrou um lucro de R$ 35 bilhões em 2023, um aumento de 15,7% em relação ao ano anterior. Ele destaca que o argumento dos bancos sobre a competitividade das cooperativas, bancos virtuais e fintechs, que possuem regimes tributários diferentes, não condiz com a realidade dos lucros apresentados pelos cinco maiores bancos do Brasil, que somaram R$ 100 bilhões no último ano.

Ainda segundo o sindicato, 180 agências foram fechadas em todo o Brasil no ano passado. Peres destaca que, apesar das afirmações de que os funcionários das agências encerradas são realocados, as demissões continuam ocorrendo devido aos fechamentos.

Impacto nos clientes

Clientes têm manifestado descontentamento com os fechamentos. Um morador da região Leste de BH, que preferiu não se identificar, relatou dificuldades para realizar saques devido ao fechamento de três agências próximas. "Outro problema é o aplicativo, que muda quase semanalmente e quase sempre apresenta problema", disse.

Outra cliente, também anônima, considerou mudar para um banco virtual devido à falta de agências físicas e à isenção de taxas de manutenção. "Já que não vai ter agência física, estou pensando em mudar para um banco virtual", declarou.

Situação preocupante

A situação é preocupante para a comunidade e para os trabalhadores. O sindicato alerta que, mesmo com o lucro significativo, o Itaú continua a reduzir sua presença física, impactando negativamente tanto os funcionários quanto os clientes. O futuro das agências bancárias tradicionais parece incerto, com uma tendência crescente de migração para serviços digitais e redução de custos operacionais.

Destaques