Odebrecht Engenharia acumula US$ 4,6 bilhões de dívida e pede recuperação judicial

A OEC está atualmente envolvida em 31 obras, sendo 21 no Brasil e 10 no exterior, empregando mais de 15 mil pessoas

Por Plox

27/06/2024 20h30 - Atualizado há 24 dias

A Odebrecht Engenharia e Construção (OEC), pertencente à holding Novonor, protocolou nesta quinta-feira (27) um pedido de recuperação judicial. A dívida da empresa é estimada em US$ 4,6 bilhões, equivalente a aproximadamente R$ 25,4 bilhões na cotação atual.

Foto: Rovena Rosa/ Agência Brasil

O plano de recuperação detalhado será apresentado em até 60 dias. Em comunicado, a empresa mencionou que esta medida visa reestruturar os passivos e melhorar o fluxo de caixa em um cenário favorável de retomada dos investimentos em infraestrutura e construção pesada. "Tendo em vista as negociações prévias com parte expressiva dos principais credores financeiros, a recuperação judicial poderá ser implementada de forma mais célere e controlada, em prazo inferior àquele usualmente necessário em iniciativas desse porte", declarou a OEC.

A OEC está atualmente envolvida em 31 obras, sendo 21 no Brasil e 10 no exterior, empregando mais de 15 mil pessoas. Lucas Cive, diretor financeiro da OEC, destacou que a recuperação judicial será concentrada nos negócios brasileiros, com foco na reestruturação dos passivos financeiros e operacionais.

Para ajudar nesse processo, a empresa está em negociações para obter um financiamento de até R$ 650 milhões através do mecanismo "DIP Financing (debtor-in-possession)", um aporte de caixa supervisionado judicialmente. Esse financiamento visa equacionar a dívida existente, reforçar o fluxo de caixa, financiar projetos, obter garantias e assegurar capital de giro.

A empresa ressaltou que, devido a negociações prévias com os principais credores, a recuperação judicial poderá ser implementada de maneira mais ágil e controlada. A Odebrecht Engenharia e Construção, anteriormente conhecida como Construtora Norberto Odebrecht, passou a adotar a sigla OEC em 2019 e mudou suas cores para verde, azul e cinza, como parte de uma estratégia para se distanciar dos escândalos de corrupção da Operação Lava Jato.

Em 2022, o Grupo Odebrecht foi renomeado para Novonor, em um movimento que marcou uma transformação baseada em ética, integridade e transparência. A OEC, focada em engenharia e construção, presta serviços nos segmentos de construção civil pesada e empreendimentos industriais, com atuação em transporte e logística, saneamento, energia, engenharia industrial e desenvolvimento urbano e edificações. A empresa atua principalmente no Brasil, Angola, Peru e Estados Unidos.

Os resultados financeiros recentes da OEC mostram um prejuízo líquido de R$ 741,4 milhões em 2023, comparado a um lucro de R$ 79,1 milhões em 2022. O prejuízo operacional foi de R$ 125 milhões, em contraste com o lucro operacional de R$ 207,3 milhões registrado no ano anterior. A empresa atribuiu esses resultados negativos ao impacto da pandemia de Covid-19 e à necessidade de provisões financeiras.

Destaques