Prefeito de São Paulo tem 31% de aprovação, revela pesquisa Quaest

Maioria dos paulistanos aponta violência como principal problema da cidade

Por Plox

27/06/2024 10h18 - Atualizado há 14 dias

Pesquisa realizada pela Quaest, divulgada em 26 de junho, revela que 31% dos eleitores paulistanos avaliam positivamente o governo de Ricardo Nunes (MDB), enquanto 20% o consideram negativo. A maioria, 41%, classifica a gestão como regular, e 8% dos entrevistados não souberam ou não responderam.

Foto: André Bueno/Rede Câmara

Principais problemas da cidade

A pesquisa, que entrevistou 1.002 eleitores de São Paulo entre 22 e 25 de junho, também perguntou qual é o problema mais grave da cidade. A violência/crime foi citada por 29% dos entrevistados, seguida por saúde (17%) e educação (5%). Outras questões mencionadas incluem transporte público (5%), pobreza/desigualdade (4%) e economia/inflação (4%).

Avaliação por áreas específicas

Em relação ao trânsito, 74% dos participantes afirmaram que piorou durante a gestão Nunes, enquanto 15% disseram que melhorou e 8% acreditam que permaneceu igual. Na área de segurança, 68% dos eleitores consideram que houve piora, 21% notaram melhorias e 9% acham que não houve mudanças.

As áreas de cultura, asfaltamento e limpeza foram as mais bem avaliadas. Em cultura, esporte e lazer, 51% dos entrevistados afirmaram que houve melhora, 28% consideraram que piorou e 12% não perceberam mudanças. No asfaltamento, 49% dos eleitores notaram melhorias, 39% disseram que piorou e 10% acham que continua igual. Quanto à limpeza, 48% avaliaram que houve melhora, 35% apontaram piora e 15% acreditam que está igual.

Desempenho em outras áreas

O transporte público foi avaliado como melhorado por 40% dos entrevistados, enquanto 40% afirmaram que piorou e 11% que continua igual. No tratamento de esgoto, 39% dos eleitores notaram melhorias, 33% observaram piora e 15% não viram mudanças. A habitação foi avaliada positivamente por 33%, com 46% afirmando que piorou e 11% que está igual.

Na educação, 28% dos eleitores perceberam melhorias, 56% disseram que piorou e 8% acreditam que não houve mudanças. A saúde foi avaliada como piorada por 62% dos entrevistados, enquanto 24% afirmaram que melhorou e 10% disseram que continua igual.

Detalhes da pesquisa

A margem de erro da pesquisa é de 3 pontos percentuais. A sondagem foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número SP-08653/2024 e foi encomendada pela Genial Investimentos.

Destaques