Ipatinga

bichos

X FECHAR
ONDE VOCÊ ESTÁ?

    Agência de viagens dá dicas para garantir a segurança dos animais durante o transporte aéreo

    Quickly Travel, do Grupo JTB, indica uma lista de cuidados e precauções essenciais para quem pretende ou precisa se deslocar com o seu animal de estimação

    Por Plox

    27/10/2021 16h19 - Atualizado há 7 meses

    Em todo o Brasil, diversas companhias aéreas realizam o transporte de animais de estimação, mas uma série de cuidados extras precisam ser tomados para garantir a segurança e o bem-estar dos bichos durante o voo, seja ele de longa ou curta duração. 

    Confira alguns cuidados básicos que os tutores precisam ter antes da viagem:

    - Essa viagem é realmente necessária?

    É preciso refletir. É realmente necessário submeter o seu gato ou cachorro ao transporte aéreo? Muito embora seja perfeitamente seguro voar com animais, tanto na cabine, como no porão, a viagem pode gerar um stress acima do normal nos bichinhos. Portanto, antes de embarcar, avalie a situação e, caso possível, considere outras opções, como hotéis para cachorro, casa de amigos ou famílias e, em último caso, a viagem.

    - Caixa de transporte

    A escolha da caixa de transporte é uma das etapas mais importantes durante o planejamento de viagem com o seu pet, afinal, ele ficará ali dentro por um longo período. Com isso em mente, é essencial que o bichinho se sinta extremamente confortável e consiga ter liberdade para ficar em pé, se esticar e fazer um círculo de 360º. É importante também se atentar as especificações de cada CIA Aérea. São permitidos apenas recipientes feitos de plástico, madeira e metal. Em todos os casos são necessários ao menos três trincos e, claro, aberturas laterais para ventilação de ar.

    - Documentação

    Se a sua viagem for para um destino internacional, fique atento às exigências em relação à saúde do animal, como vacinação, estado de saúde e documentação obrigatória. Cada país tem uma legislação diferente e isso pode impactar diretamente na sua viagem. Além disso, antes de planejar a viagem, é importante consultar um médico veterinário para compreender os riscos que o seu pet poderá correr. Algumas raças de cães são mais sensíveis do que outras, especialmente as de focinho achatado, como pugs, bulldogs, shintzus, e entre outros, que são proibidas de voar.

    - Treinamento prévio

    Para tentar reduzir o stress do bichinho durante a viagem, uma boa dica é ir acostumando o animal aos poucos com situações que simulem as condições da viagem. Após adquirir a caixa onde o animal será transportado, tente ir inserindo, pouco a pouco, o objetivo no seu cotidiano ao deixá-lo em um canto da casa e com a portinha aberta, para ele poder entrar e sair quando quiser. Se tiver dificuldades, coloque petiscos no espaço para estimular ainda mais. Com o seu pet já familiarizado com o recipiente de transporte, leve-o para passear em locais movimentos e com bastante barulho. Isso deverá deixá-lo mais relaxado durante a viagem.

    - Calmante natural

    Para garantir uma viagem tranquila e livre de preocupações, alguns cuidados devem ser tomados. Nunca, em hipótese alguma, dê sedativos ou calmantes para o seu pet. Eles são proibidos e podem fazer mal ao animal. Para deixá-los calmos, o truque é brincar bastante com eles no dia anterior e antes da viagem.

    - Alimentação

    Durante o voo, náuseas e enjoos podem ser bastante comuns. Por isso, é importante se atentar a alimentação dos pets tanto na véspera, quanto no dia da viagem. Ao viajar de estômago cheio, o animal pode acabar vomitado e, além de ficar envolto na própria sujeira, pode até se engasgar. Neste caso, o recomendável é que em trajetos curtos, de até 3 horas, o bichinho embarque em jejum. Em rotas mais longas, a estratégia muda. A dica é dar algo bem leve cerca 2 ou 3 horas antes do voo.

    - Check-up

    Ao chegar no destino, dê uma boa olhada no animal e, ao menor sinal de anormalidade, corra para o veterinário. Sinais como resquícios de diarreia, sangue, e baba em excesso podem ser um sinal de alerta. O ideal é que o bichinho possa sair da caixa de transporte como se nada tivesse acontecido. Depois disso, deixe-o relaxar e se alimentar bem, afinal, ele merece. 

    PLOX BRASIL © Copyright 2008 - 2022[email protected]