Tenente do Corpo de Bombeiros explica dinâmica das buscas em Antônio Dias

Adolescente Luan Gonçalves, de 12 anos, está desaparecido

Por Plox

27/12/2022 13h45 - Atualizado há mais de 1 ano

Na manhã desta terça-feira (27), as equipes do Corpo de Bombeiros, da Defesa Civil de Minas Gerais e da Polícia Militar, retornaram às atividades de busca pelo adolescente de 12 anos, identificado como Luan Gonçalves.

Luan é uma das vítimas do deslizamento que atingiu quatro casas no domingo de Natal (25), na comunidade do Bomba, na Vila Carvalho, em Antônio Dias, Minas Gerais.

 

Hoje se inicia o terceiro dias de busca e o Tenente Marques do Corpo de Bombeiros explicou como será a dinâmica das buscas nesta data.

"O foco principal nas estratégias de busca, são a divisão das guarnições no percurso do córrego do rio e nas proximidades da barragem Sá Carvalho. Tem uma guarnição fazendo este percurso a nado, averiguando também as margens, já que o córrego abaixou o nível no dia de hoje".

Carros destruídos pelo deslizamento da encosta em Antônio Dias/Foto: Matheus Valadares

 

Veículo destruído pelo deslizamento da encosta em Antônio Dias/Foto: Matheus Valadares

 

Além disso, Marques informou que outras guarnições estão usando embarcações na tentativa de encontrar o garoto Luan.

"Tem duas guarnições utilizando embarcações e também motor de polpa, margeando o rio e nós arredores da barragem Sá Carvalho", complementou.

O Tenente informou que o Corpo de Bombeiros junto dos demais órgãos foi acionado por volta das 00:40 do domingo. Equipes de Ipatinga, Belo Horizonte e também Governador Valadares ajudaram no resgate.

Conforme Marques, durante as buscas "foram utilizados, além dos homens, cães farejadores, helicóptero e drones".

As buscas no dia do acidente
Tenente Marques informou que os focos de busca foram mudando conforme o passar dos dias. No início "foram intensificados as buscas na estrutura em si, também com uso de maquinários da prefeitura, e também o apoio da Defesa Civil, Polícia Militar e Polícia Ambiental".

Porém, o foco foi alterando quando o nível dos escombros diminuíram. "Com a chegada do nível dos escombros na cota zero (nível antes da tragédia acontecer), as chances de se encontrar vítimas no local foram diminuindo, com isso, foram intensificados as buscas no rio, porque há um córrego correndo atrás da residência", informou o militar.

Acesso ao local da tragédia
O local onde fica as casas continua com difícil acesso. A Defesa Civil, junto da prefeitura de Antônio Dias tem feito a limpeza da rua que dá acesso aos escombros.

Porém, não há uma previsão de quando a estrada será totalmente liberada.

Rua que dá acesso aos escombros está interditada/Foto: Matheus Valadares
Destaques