Empresa condenada a indenizar vigilante por gordofobia

Justiça do Trabalho determina compensação de R$ 4 mil por assédio moral relacionado ao peso do funcionário

Por Plox

28/02/2024 08h50 - Atualizado há cerca de 2 meses

Um ex-vigilante de uma empresa de transporte de valores será indenizado em R$ 4 mil após sofrer gordofobia no ambiente de trabalho, conforme decisão da 2ª Vara do Trabalho de Sete Lagoas. Testemunhas relataram que a empresa não fornecia uniformes no tamanho adequado para o trabalhador, levando a comentários depreciativos por parte do gerente, que insinuou a necessidade de o vigilante perder peso para se adequar ao uniforme e exercer sua função.

Pixabay

Discriminação no Ambiente de Trabalho

O caso ganhou atenção pela natureza dos comentários feitos ao empregado, incluindo sugestões ofensivas de que ele deveria "emagrecer para poder caber no uniforme" e ameaças veladas de não fornecer vestimentas adequadas se o peso não fosse reduzido. Tais atitudes foram classificadas como assédio moral pela juíza, que condenou a prática de gordofobia como uma forma de discriminação inaceitável, destacando que ela fere a honra e a psique do indivíduo.

Repercussões Legais e Sociais

O reconhecimento judicial da gordofobia como uma forma de assédio moral ressalta a importância da inclusão e do respeito às diferenças no ambiente de trabalho. A decisão sublinha a necessidade de as empresas adotarem políticas mais inclusivas e respeitosas, evitando comentários e práticas que possam ser considerados discriminatórios ou ofensivos.

Destaques