Secretaria de Saúde emite alerta sobre acidentes com animais peçonhentos em Ipatinga

28/03/2019 13:13

Soro está sendo distribuído em quantidade reduzida aos Estados e, consequentemente, aos municípios

Publicidade

O constante aumento do número de notificações de acidentes com animais peçonhentos nos últimos anos, em todo país, somado à redução da produção de soros antipeçonhetos por parte do Ministério da Saúde, colocou em alerta a Secretaria de Saúde de Ipatinga, que por meio da Seção de Vigilância Epidemiológica orienta a comunidade a adotar medidas de prevenção.
 
Somente em 2018, a Secretaria de Saúde de Ipatinga registrou 567 casos de pessoas picadas por animais peçonhentos. Do total, 387 foram por escorpião, 67 por serpentes e 26 por aranha. Neste ano, somente nós três primeiros meses, há 137 casos notificados. 
 
“Há uma preocupação porque se compararmos esse número de 2018 com o ano anterior houve um aumento alarmante. Em 2017 tivemos 219 casos. São 348 a mais em 2018. A apreensão fica ainda maior quando há redução na produção de soros antipeçonhetos. Por isso pedimos a ajuda da população”, explica a diretora do Departamento de Vigilância em Saúde do município, Mara Fernanda Andrade.

Divulgaçãopeconhento
 
A redução da remessa de soros antiofídicos também foi registrada em anos anteriores. Por meio de uma nota informativa, o Ministério da Saúde informou que os soros são distribuídos, conforme análise criteriosa, considerando a situação epidemiológica dos acidentes. E que a situação está sendo gradativamente regularizada, dentro de um cronograma de entrega por parte dos laboratórios responsáveis pela produção e, consequentemente, a normalização da entrega. 
 
Cuidados
A orientação é para os cuidados especiais no sentido de evitar acidentes com animais peçonhentos, principalmente escorpiões, cobras e aranhas. A preocupação é com o risco de acidentes neste primeiro trimestre devido ao aumento de chuvas e as temperaturas altas registradas na cidade. Esses fatores fazem com que os animais peçonhentos procurem locais secos para se acomodarem, aumentando o número de ocorrências dessa natureza.  
 
A Secretaria de Saúde de Ipatinga também faz uma alerta ainda maior em relação aos acidentes causados pelo escorpião, principalmente quando envolve criança. Isso porque a picada do animal é um dos fatores que contribui diretamente para a elevação das estatísticas de mortalidade infantil. 

Divulgaçãoanimais-peçonhentos-(3)
 
A diretora do Departamento de Vigilância em Saúde, Mara Fernanda, recomenda que as pessoas usem botas quando forem para a zona rural e adotem luvas de proteção ao mexer com entulhos, além de manter limpas, sem mato, casas que ficam situadas em sítios e chácaras.  
 
“Precisamos ser cautelosos e ter iniciativas que possam prevenir os acidentes com animais peçonhentos. Essas medidas vão ajudar a evitar picadas de cobras, escorpiões e aranhas”, reforça.
 
Fui picado, e agora?
Em Ipatinga, em caso de acidente deve-se encaminhar a vítima diretamente para a Unidade de Pronto Atendimento 24 horas (UPA). Se possível, o ideal é levar o animal causador do acidente para identificação ou acionar o Corpo de Bombeiros Militar (193). Manter a pessoa em repouso é também recomendável, para evitar que seus movimentos favoreçam a absorção do veneno. 



Publicidade