Publicidade

Coronavírus: Governo de MG anuncia estudo para avaliar reabertura do comércio

28/03/2020 08:09

O anúncio foi feito durante pronunciamento do governador, transmitido ao vivo pelas redes sociais

Publicidade

Nessa sexta-feira (27), Romeu Zema, governador de Minas Gerais, afirmou que o Governo de Minas iniciou um estudo para avaliar a possibilidade de liberar o funcionamento de alguns empreendimentos.

O anúncio foi feito durante pronunciamento do governador, transmitido ao vivo pelas redes sociais, sobre as medidas de combate ao Covid-19 coronavírus.

Zema também disse que a prioridade do estado continua sendo a preservação da saúde e da vida de todos, e por isso será feito o estudo, para avaliar a possibilidade da volta do comércio, ou pelo menos, parte dele.

“Vamos ver o que será possível fazer no sentido de começarmos a reativar alguns setores. Tudo será feito com o maior critério”, disse Zema.

 

zemaFoto: reprodução/Agência Minas
 

Durante o comunicado, o governador disse ainda que as medidas tomadas após ampla avaliação, estarão sujeitas a alterações, caso o monitoramento realizado 24 horas pelo governo aponte a necessidade de determinar novamente o fechamento de empresas, para evitar riscos à população.

“Estamos otimistas de que será possível liberar algumas atividades em algumas áreas. As regiões têm realidades distintas. E, por isso, o coronavírus se espalhou de forma desigual”, disse.

Estudo

O governador também disse no vídeo que a análise levará em conta especificidades de cada município, por isso, as considerações dos prefeitos serão parte da tomada de decisão após o estudo, disse Zema.

Ele deixou claro que não está determinando a reabertura do comércio, mas garantindo que a situação de cada setor seja analisada com responsabilidade.

Caso a avaliação indique abertura de determinados estabelecimentos, os sindicatos deverão assegurar medidas que garantam a segurança dos trabalhadores. Havendo a possibilidade de retomada das atividades, as empresas deverão adotar práticas sanitárias, escala de revezamento, alteração de jornada, além de evitar o contato de clientes, de funcionários e oferecer atendimento e assistência ao grupo de risco, como idosos, pessoas com doença crônica e gestantes.
 



Publicidade