Brasil recupera desempenho de alfabetização do período pré-pandêmico

Meta de alfabetização é alcançada após queda durante pandemia

Por Plox

28/05/2024 13h14 - Atualizado há cerca de 2 meses

O Brasil recuperou o desempenho de alfabetização observado antes da pandemia de Covid-19, atingindo a meta estabelecida pelo Ministério da Educação para o ano passado no âmbito do Compromisso Nacional Criança Alfabetizada. Em 2023, 56% das crianças brasileiras atingiram o patamar de alfabetização definido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) para o 2º ano do ensino fundamental.


Foto:  Joédson Alves/Agência Brasil

Retomada do desempenho

Segundo o ministro da Educação, Camilo Santana, o percentual de estudantes alfabetizados na rede pública era de 55% em 2019. Com a pandemia, esse número caiu drasticamente para 36% em 2021. Em 2023, o percentual voltou a subir, atingindo 56%. “Em 2019, o percentual de estudantes alfabetizados na rede pública do país era de 55%, percentual que, com a pandemia, caiu para 36% em 2021. Em 2023, retomamos ao patamar anterior, subindo para 56%”, afirmou Santana ao abrir a reunião com governadores no Palácio do Planalto, durante a apresentação dos resultados do Compromisso Nacional Criança Alfabetizada.

Avanços na educação pós-pandemia

O resultado, segundo Santana, indica um avanço significativo na mitigação dos efeitos negativos da pandemia sobre a alfabetização de estudantes ao fim do 2° ano do ensino fundamental. Ele destacou a importância da recomposição das aprendizagens, com foco na alfabetização das crianças matriculadas nos 3°, 4° e 5° anos que foram afetadas pela pandemia.

Adesão ao Compromisso Nacional Criança Alfabetizada

Lançado no início do ano passado, o compromisso já conta com a adesão de 100% dos estados e de 99,8% dos municípios. “Falta ainda um município do Mato Grosso, sete municípios de São Paulo e um de Santa Catarina. Mas o resultado mostra o desejo de prefeitos e governadores de construir essa política nacional, independentemente de questões partidárias, políticas ou ideológicas”, destacou o ministro Santana.

Propostas e parcerias

Santana também propôs um pacto com os administradores locais para criar uma premiação nacional que reconheça iniciativas de destaque em avanços e boas práticas na educação. Ele ressaltou que todos os governadores têm sido parceiros na missão de melhorar a educação no país, inclusive na implementação do programa Pé de Meia, criado para recompensar financeiramente os estudantes que permanecem na escola. “Todos nós sabemos dos indicadores de evasão escolar, de abandono e de distorção idade-série. Ou seja, quando a criança está atrasada”, afirmou Santana.

Destaques