Cuidadora de escola infantil é demitida após morder braço de criança

A mãe, que preferiu não se identificar, recebeu inicialmente uma ligação da escola informando que o filho havia sido mordido por outro colega

Por Plox

28/05/2024 17h22 - Atualizado há cerca de 2 meses

Uma cuidadora foi demitida após a mãe de um aluno de 3 anos descobrir que a funcionária mordeu a criança. O fato ocorreu na última quarta-feira (22), em Cachoeiro de Itapemirim, no Espírito Santo. A servidora alegou que a mordida foi uma brincadeira.

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Contradições e descoberta

A mãe, que preferiu não se identificar, recebeu inicialmente uma ligação da escola informando que o filho havia sido mordido por outro colega. No entanto, a criança contou que a "tia" o mordeu. Segundo a mãe, "Eu fui conversar com ele, explicar que não pode morder, perguntar o que tinha acontecido, porque a gente sabe que às vezes crianças fazem essas coisas. Mas quando eu perguntei o nome da coleguinha, ele disse que tinha sido a 'tia'. Eu cheguei a comentar com o meu marido, a gente imaginou que talvez a tal tia tivesse ajudado a separar as crianças, mas de todo jeito pedi para ele me mostrar a pessoa no dia seguinte".

Boletim de ocorrência e ação escolar

Na quinta-feira (23), a criança apontou a cuidadora como responsável pela mordida. Apesar de confrontada pela mãe, a funcionária manteve a versão de que a mordida foi de outro aluno. Posteriormente, a mãe foi chamada à escola, onde lhe foi solicitado que registrasse um Boletim de Ocorrência. "A gestora falou comigo que estava todo mundo revoltado, que ela não sabia o que fazer, que uma situação como essa nunca tinha acontecido na escola. A própria gestora acionou o Conselho Tutelar, que também estava lá presente, e acionou a Secretaria de Educação. A cuidadora não estava presente, mas eles disseram que ela confessou que mordeu o meu filho, mas que teria sido uma brincadeira, que ele também a teria mordido", relatou a mãe.

Evidências das câmeras de segurança

Imagens das câmeras de monitoramento da escola mostraram a cuidadora entrando no banheiro com a criança e saindo com o menino machucado. "Eles estão brincando na área externa, ela pega ele, bota sentado perto da janela, depois entra com ele no banheiro, e o meu filho já sai segurando o bracinho esquerdo contra o corpo. A marca ficou perto da manguinha da blusa, mas ficou escondida. Logo depois ele já chora e reclama, a cuidadora senta na cadeira, conversa com ele. Isso me deixou muito mexida, ele pede colo para ela, como se tivesse pedindo ajuda, ele é muito inocente", descreveu a mãe. Desde então, a criança se recusou a voltar para a escola, e a mãe pretende transferi-lo para outra instituição.

Resposta da prefeitura e investigação

A Prefeitura de Cachoeiro de Itapemirim informou que a funcionária foi exonerada e que um processo administrativo foi instaurado. O caso foi comunicado ao Conselho Tutelar e ao Ministério Público. A Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente e ao Idoso (DPCAI) de Cachoeiro de Itapemirim está investigando o caso.

Destaques