Encontrado morto adolescente suspeito de matar família em Agudos

Jovem, investigado pela morte de três pessoas de uma mesma família, foi localizado em prédio abandonado com ferimentos nas costas.

Por Plox

28/05/2024 10h06 - Atualizado há cerca de 2 meses

Um adolescente de 15 anos, principal suspeito do assassinato de um casal de idosos e do genro deles em Agudos (SP), foi encontrado morto na manhã desta segunda-feira (27) em um prédio abandonado na Vila Regina, em Bauru (SP). O jovem desapareceu logo após os corpos das vítimas terem sido descobertos na sexta-feira (24).

Investigação em curso

A Polícia Civil informou que o adolescente era vizinho das vítimas, Joana de Fátima Sanches Carrasco, de 70 anos; Aparecido Roberto Carrasco, de 74 anos; e o autônomo Valdinei de Sousa, de 57 anos. Ele foi encontrado com ferimentos nas costas, mas a causa da morte ainda não foi determinada, podendo ser acidente, suicídio ou homicídio. A identidade do jovem não foi revelada.

O crime

Os três familiares foram mortos a facadas em sua residência. A filha do casal e esposa de Valdinei acionou a polícia após não conseguir contato com o marido, que havia saído para se exercitar sem levar o celular. Ao chegar na casa dos pais, encontrou os corpos: a mãe na cozinha, o pai na sala e o marido no quarto, todos com ferimentos de faca no pescoço.

Reação da comunidade

O crime chocou a comunidade de Agudos. Segundo vizinhos, a família Carrasco era tranquila e não haviam notado nada suspeito antes do incidente. O delegado Marcos Jeferson da Silva declarou que "não descarta nenhuma linha de investigação" e que pode se tratar de um latrocínio mal sucedido, vingança ou desentendimento.

Dúvidas e mistérios

A motivação do crime ainda é um mistério, sem sinais de arrombamento ou luta na residência. Não foram encontradas imagens de segurança no local ou nas proximidades. Um princípio de incêndio no fogão foi registrado, possivelmente uma tentativa do suspeito de apagar evidências.

Procedimentos pós-crime

Os corpos das vítimas foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML) e liberados para velório e enterro no sábado (25). A arma do crime, possivelmente uma faca, ainda não foi localizada. As investigações continuam enquanto a comunidade de Agudos busca respostas para o trágico evento.

Destaques