Morcego com raiva é identificado no bairro Sion, em BH

Zoonoses de Belo Horizonte intensifica ações após morcego testar positivo para o vírus mortal

Por Plox

28/05/2024 09h55 - Atualizado há cerca de 2 meses

Um morcego encontrado na rua Pains, no bairro Sion, região Centro-Sul de Belo Horizonte, testou positivo para o vírus da raiva, de acordo com informações da gerência de Zoonoses da capital. A situação alarmou os moradores do bairro, que rapidamente compartilharam a notícia em grupos de aplicativos de mensagens. A descoberta aumenta a preocupação com a transmissão da doença, que pode ser fatal para humanos e é transmitida por mordidas ou arranhões de animais contaminados, incluindo morcegos e animais domésticos como cães e gatos.

Wikimedia Comms

Medidas de contenção e prevenção

Em resposta à descoberta, a Prefeitura de Belo Horizonte iniciou uma ação de bloqueio vacinal de cães e gatos em um raio de 300 metros do local onde o morcego foi encontrado. “Após a identificação do morcego positivo para raiva no bairro Sion, foi iniciada ação de bloqueio vacinal de animais domésticos (cães e gatos) num raio de 300 metros. A ação é realizada sempre que é feito o recolhimento de algum animal com suspeita da doença”, afirmou a prefeitura em nota.

Até o momento, em 2024, foram confirmados 11 casos de morcegos infectados com raiva na cidade. A Secretaria Municipal de Saúde monitora continuamente a circulação do vírus da raiva e os Agentes de Combate a Endemias (ACE) estão orientando a população sobre medidas de prevenção dentro da área delimitada para a ação.

Orientações para a população

A Prefeitura de Belo Horizonte alerta que, em caso de suspeita de animais contaminados, especialmente morcegos caídos e com comportamento atípico, os moradores não devem manipular ou descartar o animal. O correto é acionar imediatamente o serviço de Zoonoses do município para o recolhimento adequado do animal.

Além disso, a vacinação contra a raiva para cães e gatos está disponível durante todo o ano em seis locais na cidade, complementada pela campanha antirrábica anual. A prefeitura também realiza ações especiais de vacinação para animais em áreas de bloqueio de foco de raiva, incluindo cães errantes recolhidos pelo Centro de Controle de Zoonoses.

Histórico e impacto da raiva

Conforme as Normas Técnicas de Profilaxia da Raiva Humana do Ministério da Saúde, a raiva “apresenta letalidade de aproximadamente 100% e alto custo na assistência preventiva às pessoas expostas ao risco de adoecer e morrer. Apesar de ser conhecida desde a antiguidade, continua sendo um problema de saúde pública”.

Destaques