Papa pede desculpa após dizer que tem "bichas" demais nos seminários

Pontífice expressa arrependimento após usar termo pejorativo, reforçando que a Igreja Católica é aberta a todos

Por Plox

28/05/2024 12h15 - Atualizado há cerca de 1 mês

Em uma reunião a portas fechadas com bispos italianos, o Papa Francisco usou o termo "frociaggine", um palavreado vulgar italiano que se traduz aproximadamente como "bichice" ou "viadagem", ao pedir que não aceitem padres abertamente homossexuais nos seminários. A declaração surpreendeu os mais de 200 presentes e gerou repercussão imediata.

Foto: reprodução/ Instagram

Pedido de desculpas
Nesta terça-feira (28), o Papa Francisco pediu desculpas publicamente pela linguagem utilizada. O porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni, esclareceu que o pontífice "nunca teve a intenção de ofender ou de se expressar em termos homofóbicos" e lamentou profundamente que alguém tenha se sentido ofendido. Bruni reiterou que o Papa "já disse diversas vezes que a Igreja Católica está aberta a todos".

Histórico de apoio à comunidade LGBTQIA+
O Papa Francisco, de 87 anos, tem um histórico de declarações e ações que demonstram uma abertura à comunidade LGBTQIA+ durante seus 11 anos de papado. Em 2013, ele declarou: "Se uma pessoa é gay e busca a Deus e tem boa vontade, quem sou eu para julgar?". No ano passado, ele permitiu que padres abençoassem casais do mesmo sexo, o que provocou reações da ala mais conservadora da igreja.

Repercussão na imprensa
A imprensa italiana, incluindo os jornais "La Repubblica" e "Corriere della Sera", noticiou amplamente o episódio, destacando o uso do termo depreciativo pelo pontífice. A agência de notícias Ansa também relatou a surpresa dos participantes na reunião.

O incidente reforça a complexidade do diálogo interno da Igreja Católica sobre a aceitação de membros da comunidade LGBTQIA+ e a tensão entre as posturas progressistas e conservadoras dentro da instituição.

Destaques