Policial é afastado sob suspeita de fraude que causou prejuízo de R$ 1,5 milhão

Operação da Polícia Federal desarticula esquema de fraude bancária com documentos falsos em Minas Gerais

Por Plox

28/05/2024 10h26 - Atualizado há cerca de 2 meses

A Polícia Federal anunciou na manhã desta terça-feira (28/5) o afastamento de um agente de segurança pública suspeito de envolvimento em uma rede criminosa especializada em fraudes bancárias utilizando documentos falsificados. A operação ocorreu em várias cidades de Minas Gerais, incluindo Montes Claros, Bocaiúva e Uberlândia.

Detalhes da operação

Os agentes federais cumpriram mandados de busca e apreensão, além de sequestro de bens, nas localidades mencionadas, com o objetivo de desmantelar o esquema de fraude bancária. A investigação revelou que os criminosos realizavam saques fraudulentos a partir de créditos de precatórios utilizando documentos falsificados, resultando em um prejuízo estimado de R$ 1,5 milhão para a União desde 2019.

Modus operandi e prejuízos

Os envolvidos na fraude usavam documentos falsificados para levantar créditos de precatórios. Segundo a análise da PF, o grupo estava preparado para realizar mais nove saques, totalizando R$ 400 mil. Há indícios de que o dinheiro obtido com essas fraudes foi utilizado para fraudar consórcios de veículos.

Medidas contra o agente envolvido

Entre os alvos das medidas está um agente de segurança pública, que foi afastado de suas funções e colocado em recolhimento domiciliar monitorado por tornozeleira eletrônica. A PF continua com as investigações, e os suspeitos deverão responder pelos crimes de estelionato, falsificação de documento público, associação criminosa e lavagem de dinheiro.

Destaques