Suplementos alimentares ilegais representam risco à saúde no país

Farmacêuticos e nutricionistas alertam sobre os perigos de consumir produtos vencidos e falsificados

Por Plox

28/05/2024 08h11 - Atualizado há cerca de 2 meses

A comercialização de suplementos alimentares irregulares constitui 30% do total vendido no país, segundo dados recentes. Este cenário alarmante preocupa farmacêuticos e nutricionistas, que reforçam os riscos associados ao consumo desses produtos, especialmente quando estão vencidos ou falsificados.

Os consumidores de suplementos alimentares, geralmente adeptos de práticas esportivas e em busca de uma vida mais saudável, podem ver seus esforços comprometidos ao adquirir versões não regulamentadas ou fora da validade. O consumo de suplementos irregulares pode não apenas frustrar os objetivos de saúde e desempenho, mas também acarretar sérios riscos à saúde, como reações adversas e falta de eficácia dos ingredientes ativos.

Os especialistas destacam a importância de verificar a procedência e a validade dos suplementos antes da compra. Produtos sem registro adequado podem conter substâncias proibidas ou em concentrações inadequadas, além de estarem mais suscetíveis a contaminações.

pixabay

"Consumir produtos fora da validade pode levar a intoxicações e outros problemas de saúde", adverte a farmacêutica Maria Silva. Já o nutricionista João Pereira complementa, afirmando que "é essencial buscar orientação profissional ao escolher suplementos, garantindo que se está consumindo algo seguro e eficaz".

Destaques