2024 terá menos feriados em dias úteis, impactando economia e funcionalismo

Governo define 10 feriados e 8 pontos facultativos para 2024, com foco na produtividade e equilíbrio econômico

Por Plox

28/12/2023 14h31 - Atualizado há 5 meses

O governo brasileiro, nesta quinta-feira (28), anunciou oficialmente o calendário de feriados nacionais e pontos facultativos para o ano de 2024. Segundo o Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos, serão 10 feriados nacionais e 8 pontos facultativos, dos quais quatro coincidirão com fins de semana. Este calendário é orientativo para o funcionalismo público federal, podendo ser adotado nacionalmente.

 

Feriados e Pontos Facultativos de 2024

Entre as datas estabelecidas, destacam-se:

  • 1º de janeiro, Confraternização Universal (feriado nacional) – segunda-feira
  • Carnaval (12 e 13 de fevereiro) e Quarta-Feira de Cinzas (14 de fevereiro) como pontos facultativos
  • Paixão de Cristo em 29 de março (feriado nacional) – sexta-feira
  • Tiradentes (21 de abril) e Independência do Brasil (7 de setembro), ambos em fins de semana
  • Dia do Trabalhador (1º de maio) e Natal (25 de dezembro), em dias úteis

Esta organização busca não prejudicar a prestação de serviços públicos essenciais.

 

Posicionamento Presidencial e Impacto no PIB

Em crítica recente, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva associou o número de feriados prolongados em 2023 ao desempenho do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. "Este ano teve muitos feriados prolongados. Em 2024, com menos feriados em dias úteis, esperamos um crescimento do PIB", afirmou Lula durante reunião ministerial no Palácio do Planalto em 10 de novembro. Contudo, Lula tornou o Dia da Consciência Negra, em 20 de novembro, feriado nacional, ampliando sua observância.

 

Visão Econômica: Benefícios e Desafios

A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) salienta que feriados em dias úteis favorecem setores como o turismo, mas trazem desafios ao comércio, que enfrenta queda de atividade e custos elevados, como horas extras pagas. A CNC estima que em 2024, com a redução de feriados em dias úteis, o prejuízo ao comércio será menor. José Roberto Tadros, presidente da CNC, destaca a necessidade de equilíbrio: “Beneficiamos o turismo, mas observamos perdas no varejo. Nosso objetivo é iluminar o cenário para decisões equilibradas”.

 

 


 

Destaques