Mamonas Assassinas: A Tragédia e o Humor no novo filme brasileiro

De humor e emoção, o longa relembra a trajetória da banda que marcou os anos 90

Por Plox

28/12/2023 09h08 - Atualizado há 5 meses

O filme "Mamonas Assassinas: O Filme", que chegou recentemente às telonas brasileiras, retrata a história da famosa banda paulista dos anos 90, misturando humor e tragédia. O tecladista Júlio Rasec, interpretado por Robson Lima, aparece de forma tímida, mas se torna essencial na narrativa, representando o sentimento de despedida do grupo, que teve um fim trágico em um acidente aéreo em 1996.

Foto: Edu Moraes/Divulgação

Robson Lima, além de ator, é cantor e comentou sobre a sensibilidade ao interpretar Júlio: "Sempre tive um olhar muito cauteloso e zeloso sobre esse momento final". O filme não só retrata a trajetória bem-sucedida da banda, como também apresenta momentos pessoais dos integrantes, como a cena em que Júlio, interpretado por Lima, fala de um sonho premonitório sobre o acidente de avião, baseado em um vídeo real.

O longa também conta com a participação do ator Rhener Freitas, que interpreta o baterista Sérgio Reoli, proporcionando um contraponto emocional no filme com sua história romântica. Freitas, que também é cantor e guitarrista, expressou sua emoção ao assistir ao filme, especialmente nas cenas que retratam a despedida dos personagens.

Além das cenas dramáticas, o filme é pontuado por momentos de humor e inclui os principais hits da banda, como "Pelados em Santos", "Robocop Gay" e "Vira-Vira". Os atores, muitos deles com experiência musical, destacaram como essa habilidade contribuiu para a autenticidade na representação dos personagens.

Dinho, interpretado por Ruy Brissac, é apresentado como o grande protagonista do filme. O longa, dirigido por Edson Spinello, inicia e termina com a mensagem de que "o sonho é possível", uma frase dita por Dinho durante um show em Guarulhos, cidade natal do Mamonas Assassinas. 

Destaques