Solicitação ao STF para investigar Zema e Nikolas por participação em evento de Bolsonaro

Ex-líder do PSOL em MG questiona uso de recursos públicos em ato pró-Bolsonaro; STF pode abrir inquérito

Por Plox

29/02/2024 20h04 - Atualizado há cerca de 1 mês

A ex-presidente do PSOL em Minas Gerais, Sara Azevedo, dirigiu-se ao Supremo Tribunal Federal (STF) com uma solicitação formal para que se investigue a possível utilização indevida de recursos públicos pelo governador de Minas Gerais, Romeu Zema, e pelo deputado federal Nikolas Ferreira, ambos presentes em um ato liderado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro em São Paulo, ocorrido no último domingo, 25 de fevereiro de 2024. Essa petição, protocolada na terça-feira, 27 de fevereiro, sugere que o ministro Alexandre de Moraes lidere a investigação.

Foto: Reprodução Instagram @romeuzemaoficial

Sara Azevedo argumenta que a conduta de Zema e Nikolas pode ser enquadrada como peculato — a apropriação indevida de bens ou valores públicos. Segundo ela, a participação dos políticos em um evento de cunho político-partidário, financiada com recursos do estado, violaria diretamente os princípios que regem a utilização do patrimônio público. A ex-candidata ao Senado reforça que, mesmo que a legislação não defina explicitamente tal ato como peculato, ainda assim, representaria uma aplicação imprópria dos recursos estatais.

Relatos apontam que para a participação no evento em São Paulo, foram utilizados meios financiados pelo erário público, como passagens aéreas, veículos oficiais e segurança pública. Essas ações, segundo Azevedo, justificam uma análise mais aprofundada pelo STF, especialmente considerando a possível relação desse evento com investigações em curso sobre ataques às instituições democráticas em janeiro de 2023, sob supervisão do ministro Moraes.

Destaques