Ministro diz que número de mortos indica agravamento da pandemia no Brasil

Números altos não correspondem mais ao acúmulo de mortes que não haviam sido notificadas, disse o ministro Nelson Teich

Por Plox

29/04/2020 10h41 - Atualizado há quase 4 anos

Em entrevista coletiva nessa noite de terça-feira (28), no Palácio do Planalto, em Brasília, o ministro da saúde Nelson Teich admitiu que as divulgações recentes do número de mortes, em decorrência da Pandemia de COVID-19 no Brasil, são realmente um sinal de que situação está se agravando.
 
Teich disse que, logo que houve um salto grande no número de confirmações de mortes, ele acreditou que poderia ser simplesmente o acúmulo de vários casos, que não haviam ainda sido notificados. 

WhatsApp Image 2020-04-29 at 08.41.36Foto: Marcello Casal Jr / Agência Brasil


 
Mas como os números de mortes confirmadas diariamente continuam muito elevados - hoje, por exemplo, foram confirmadas as mortes de 474 pessoas - o ministro admitiu que está havendo um agravamento da situação, principalmente em algumas regiões do país.

 
“Isso se continua restrito a lugares onde a gente sabe que estão vivendo as maiores dificuldades como Manaus, Recife, Rio de Janeiros, São Paulo e a gente tá tratando dessa forma, entendendo que o Brasil tem que ser tratado de uma forma diferente para as diferentes regiões, mas hoje a gente vê, nesses lugares onde a crise é maior, como um quadro de priori e a gente vai continuar acompanhando e vê como vai ser a evolução”, disse o ministro.
 
O secretário de vigilância de saúde Wanderson Oliveira descreveu quais regiões do território brasileiro são as mais afetadas pela pandemia. Segundo dados enviados pelas secretarias de saúde municipais e estaduais um total de 71.886 casos confirmados. São 5.017 óbitos registrados até o momento, sendo que 474 mortes foram nas últimas 24 horas.
 
Segundo o secretário, em São Paulo foram 185 novos óbitos nas últimas 24 horas. 73 no Rio de Janeiro, 24 em Pernambuco, 19 no Ceará e 32  no Amazonas.
 
Liberação do comércio 
 
As declarações do ministro da Saúde de que o Governo Federal admite que a situação da pandemia no Brasil está se agravando ocorre exatamente em um momento no qual várias prefeituras estão permitindo o retorno das atividades dos estabelecimentos comerciais e outros.
 
Por estarmos nos últimos dias do mês, em todo o Brasil estão ocorrendo reuniões para avaliação e definição sobre os rumos das atividades comerciais. Em várias cidades, foi anunciado o retorno do funcionamento de comércios e outros estabelecimentos.

Destaques