Em entrevista, ex-deputado e ex-procurador da Lava Jato aborda anulação de condenações de Lula e alega perseguição a Bolsonaro

Deltan Dallagnol critica governo Lula e aponta vingança contra bolsonaristas

Por Plox

29/12/2023 12h07 - Atualizado há 5 meses

Deltan Dallagnol, ex-deputado federal e ex-procurador da operação Lava Jato, fez declarações contundentes contra o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o atual cenário político brasileiro. Em entrevista ao programa Café com Política, da FM O TEMPO 91,7, ele criticou a atuação de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e denunciou uma suposta "vingança do sistema contra Bolsonaro e os bolsonaristas".

Foto: José Cruz / Agência Brasil / CP

Críticas ao governo Lula Dallagnol expressou preocupação com o governo Lula, referindo-se ao presidente como alguém que se sente com "carta branca para fazer o que quiser", após a anulação de suas condenações por corrupção e lavagem de dinheiro. "Quando eu olho para o governo Lula eu vejo um governo que está cumprindo os desmandos que já prometia que realizaria", afirmou Dallagnol durante sua passagem por Belo Horizonte no último dia 19.

Posicionamento sobre política econômica Além das questões políticas, Dallagnol também apontou falhas na gestão econômica do governo Lula. Segundo ele, o atual governo só sabe governar gastando excessivamente, o que poderia comprometer o equilíbrio fiscal do país. "É um governo que já mudou as regras do equilíbrio fiscal e já disse publicamente que não vai cumprir", declarou o ex-deputado, prevendo um possível aumento da dívida e consequências negativas para a economia.

Questão da inelegibilidade de Bolsonaro Dallagnol defendeu o ex-presidente Jair Bolsonaro quanto à sua inelegibilidade, argumentando que o episódio envolvendo Bolsonaro e embaixadores, onde foram levantadas dúvidas sobre a segurança das urnas eletrônicas, não seria razão suficiente para torná-lo inelegível. Ele criticou o que considera ser uma perseguição ao ex-presidente e aos seus apoiadores. "Existe, sim, hoje uma maquinação, uma retaliação e uma vingança do sistema contra Bolsonaro e contra os bolsonaristas", concluiu Dallagnol.

Destaques