Vídeo íntimo de Reynaldo Gianecchini vaza e suspeito nega responsabilidade

Julio Oliveira, envolvido no escândalo, afirma que teve perfil hackeado; ator é vítima de crime cibernético

Por Plox

29/12/2023 11h48 - Atualizado há 6 meses

Um vídeo íntimo envolvendo o ator Reynaldo Gianecchini, de 51 anos, tornou-se viral após um vazamento nas redes sociais na última quinta-feira (28). A polêmica ganhou novos contornos quando Julio César Oliveira, que aparece no vídeo com o ator, veio a público negar sua participação no vazamento. A divulgação do conteúdo sem consentimento configura um crime virtual, enquadrado na Lei Carolina Dieckmann.

 

 Foto: Reprodução/Instagram

O caso ganhou atenção nacional depois que o vídeo íntimo começou a circular nas redes sociais, expondo a privacidade do ator. Julio César Oliveira utilizou o perfil da jornalista Fábia Oliveira, no portal Metrópoles, para se manifestar sobre o incidente. Em sua defesa, Oliveira afirmou que teve seu perfil hackeado, negando qualquer envolvimento no vazamento das imagens. "Ninguém permitiu vocês a hackear o celular e pegar coisas que não são de vocês para expor na mídia. Deixem as pessoas em paz, se vocês não transam, deixem as pessoas fazerem. Pare de cuidar da vida dos outros", declarou Julio Oliveira.

O episódio ressalta a gravidade dos crimes cibernéticos, principalmente quando se trata da exposição não autorizada de conteúdos íntimos. De acordo com o artigo 154-A do Código Penal, conhecido como Lei Carolina Dieckmann, o vazamento de conteúdo íntimo sem consentimento é considerado crime, sujeito a penas que podem variar de 3 meses a 1 ano. Este caso destaca a necessidade de proteção da privacidade e dos dados pessoais na era digital, ao mesmo tempo que reforça a importância da responsabilidade e ética no uso das redes sociais e na disseminação de informações.

 

Destaques